Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Libertadores: Chapecoense perde em noite histórica na Arena Condá

Na estreia em casa na competição, time catarinense cai diante do Lanús por 3 a 1

A Chapecoense viveu nesta quinta-feira uma noite histórica, a noite de sua primeira partida em casa na Taça Libertadores da América. A ocasião foi aproveitada também para homenagear os heróis que perderam a vida no acidente aéreo de novembro passado, antes da final da Copa Sul-Americana, na Colômbia. Com a bola em ação, no entanto, a cidade de Chapecó viveu uma decepção por causa da derrota por 3 a 1 para o Lanús, da Argentina, de virada, na Arena Condá.

Os problemas da Chapecoense começaram antes da partida. A diretoria do clube havia planejado estrear nesta quinta-feira um uniforme especial para a Libertadores, com um tom de verde bastante escuro. Seria um dos pontos altos da noite de celebração. Isso não ocorreu, porém, porque o Lanús só levou da Argentina seu uniforme grená (também escuro), embora o regulamento da competição diga que o clube visitante tem a obrigação de mudar o equipamento em caso de cores parecidas. Só restou à Chapecoense adiar a estreia da camisa e jogar de branco.

O apoio da torcida empurrou a Chapecoense para cima do Lanús no primeiro tempo, mas a equipe dirigida por Vágner Mancini não soube aproveitar a força de seus torcedores. Apesar do entusiasmo, o time catarinense foi muito confuso e não conseguiu oportunidades claras de gol.

As dificuldades da equipe de Chapecó pareciam ter sido superadas logo aos quatro minutos do segundo tempo, quando Rossi dominou na área um chute torto de João Pedro e abriu o placar. A Arena Condá entrou em êxtase.

A festa, entretanto, durou pouco tempo. Três minutos mais tarde, Aguirre aproveitou uma falha terrível da defesa da Chapecoense e empatou o jogo.

No minuto seguinte, Douglas Grolli quase marcou o segundo gol dos brasileiros com uma cabeçada, e foi tudo para a Chapecoense. Dali por diante, o Lanús tomou conta do jogo e virou o placar com um tento de pênalti de Sand. aos 21. A Arena Condá ficou em silêncio e os argentinos consolidaram seu domínio com um gol de Acosta, o melhor jogador da partida, aos 35 minutos.

Apesar da derrota, os jogadores da Chapecoense saíram de campo aplaudidos pelos torcedores, que reconheceram o esforço da equipe.