Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Libertadores: Chapecoense inicia novo sonho na Venezuela

Atual campeã da Sul-americana, equipe catarinense faz sua primeira partida na história da Libertadores diante do também estreante Zulia, em Maracaibo

Por da redação - 7 mar 2017, 08h36

Há jogos de futebol que transcendem os gols e os três pontos em disputa. O desta terça-feira entre Chapecoense e Zulia, da Venezuela, pela Copa Libertadores da América, em Maracaibo, é um desses, pois marca o retorno da equipe catarinense ao cenário internacional, pouco mais de três meses após o desastre aéreo que matou 71 pessoas na Colômbia. A primeira partida da história da Chapecoense e também do Zulia na principal competição da América acontece às 21h45 (de Brasília), no estádio Pachencho Romero.

O acidente de 29 de novembro do ano passado ocorreu às vésperas da decisão da Copa Sul-Americana, diante do Atlético Nacional de Medellín, e o título e a vaga automática à Libertadores ficaram com a equipe catarinense. Dezenove jogadores, o técnico Caio Júnior e dezenas de outros funcionários morreram no acidente que tirou a vida de 71 das 77 pessoas a bordo do voo da LaMia.

Em 2017, sob o comando do técnico Vagner ManciniChapecoense realizou 22 contratações. Sobreviventes da tragédia, Alan Ruschel e Neto já voltaram a treinar e foram inscritos no torneio. Eles não viajaram com o elenco, pois seguem sem condições de jogo, em tratamento intensivo.

Entretanto, a participação de Neto e Ruschel não está descartada, caso a Chapecoense se classifique para a próxima fase do torneio. De acordo com o departamento médico do clube, os atletas passarão por uma avaliação final no início de maio, quando poderão ser liberados para treinar normalmente. A fase ‘mata-mata‘ da Libertadores começará em julho.

Publicidade

Para a estreia, Vagner Mancini terá o desfalque do volante Amaral, que foi submetido a uma cirurgia no joelho e ficará afastado por cerca de seis meses. A Chapecoense deve entrar em campo nesta terça escalada com Artur; João Pedro, Fabrício Bruno, Nathan e Reinaldo; Luiz Antônio, Andrei Girotto e Dodô; Arthur, Wellington Paulista e Niltinho. Chapecoense e Zulia integram o grupo 7, ao lado do argentino Lanús e do uruguaio Nacional.

(com AFP)

 

Publicidade