Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Lazio vence Brescia em jogo paralisado devido a racismo contra Balotelli

Esta é a terceira vez que o atacante italiano, que marcou o gol de seu time, é vítima de insultos racistas desde que voltou a jogar na Itália

Por Da Redação - 5 jan 2020, 15h13

A Lazio conquistou neste domingo a nona vitória consecutiva pelo Campeonato Italiano, a primeira do ano de 2020, ao bater o Brescia por 2 a 1 de virada como visitante, no estádio Mario Rigamonti, em jogo que permaneceu paralisado por alguns minutos devido a insultos racistas ao atacante Mario Balotelli.

Balotelli marcou o primeiro gol do ano pelo campeonato, aos 18 minutos da etapa inicial, com uma bonita finalização de pé esquerdo. Depois disso, ouviu cânticos discriminatórios e os relatou ao árbitro, que interrompeu a partida por volta dos 30 minutos do primeiro tempo.

Seguindo normas recentes da Fifa, houve mensagens antirracismo no sistema de som do estádio, e parte da torcida local passou a aplaudir o atacante e a gritar seu nome. O técnico da Lazio, Simone Inzaghi, reforçou o pedido para que os torcedores ‘biancocelesti’ parassem com as manifestações racistas.

Quando a bola voltou a rolar, o time da capital virou a partida com dois gols do atacante italiano Immobile. O centroavante deixou tudo igual ainda antes do intervalo, aos 42 minutos, em cobrança de pênalti, e desempatou aos 46 do segundo tempo.

Publicidade

A Lazio é a terceira colocada do campeonato, com 39 pontos, três a menos que Inter de Milão e Juventus, enquanto o Brescia abre a zona de rebaixamento, em 18º lugar, com 14.

Histórico de insultos racistas

Esta não é a primeira vez que Balotelli é vítima de insultos racistas desde que voltou a jogar na Itália. Em novembro, quando seu clube, o Brescia, enfrentava o Verona, o atacante foi ofendido por torcedores e chutou a bola na direção das arquibancadas. O jogador, que ameaçou deixar o campo, foi consolado por seus companheiros. Também em novembro, o presidente do Brescia, Massimo Cellino, se dirigiu ao jogador de forma pejorativa e irônica antes de uma coletiva de imprensa. “É negro, o que devo dizer? Está trabalhando para se clarear, mas está com dificuldade”, afirmou.

O Brescia emitiu uma nota oficial após a declaração do presidente, afirmando que se tratava de uma “piada paradoxal”. Confira o texto: “A respeito das declarações divulgadas pelo presidente Massimo Cellino sobre Mario Balotelli, o Brescia Calcio esclarece tratar-se de uma piada paradoxal, claramente incompreendida, divulgada para minimizar a exposição midiática excessiva e com intenção de proteger o jogador”, diz o texto.

(Com EFE)

Publicidade