Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Justiça italiana confirma condenação de Robinho por violência sexual

Jogador e amigo Ricardo Falco tiveram a sentença mantida pela corte de apelação de Milão; defesa apresentou dossiê sobre a vítima e irá recorrer da decisão

Por Da Redação Atualizado em 10 dez 2020, 14h53 - Publicado em 10 dez 2020, 14h45

A corte de apelação de Milão confirmou nesta quinta-feira, 10, a condenação do atacante Robinho pelo crime de violência sexual em grupo contra uma jovem albanesa, ocorrido em 22 de janeiro de 2013, na casa noturna Sio Café, quando o brasileiro era jogador do Milan.

Além de Robinho, a sentença também foi mantida para seu amigo Ricardo Falco. De acordo com informações do UOL, a defesa do jogador afirmou que entrará com pedido de recurso na Corte de Cassação, equivalente a terceira instância.

A decisão foi tomada por um colegiado de três juízas, Francesca Vitale, Paola Di Lorenzo e Chiara Nobili. O jogador foi representado pela advogada Marisa Alija Ramos e pelos advogados italianos Alexander Gutierres e Franco Moretti. Eles não falaram com a imprensa após o término do julgamento.

Com a condenação em segunda instância, o tribunal já poderia solicitar a prisão do jogador antes mesmo do julgamento definitivo. Pelo fato de morar no Brasil, a possibilidade é considerada remota, pois é condicionada à emissão de um mandado internacional de prisão. Outra possibilidade é que o mandado seja cumprido caso Robinho viaje a alguns países da Europa.

  • A defesa de Robinho apresentou um recurso de 65 páginas, com dezenove anexos e quatro consultorias técnicas para desmontar a sentença inicial que condenou o jogador a 9 anos de prisão. A justiça italiana apontou que a vítima, que não teve seu nome revelado, estava em condições de inferioridade psíquica e física. A condenação segue mantida, mas ainda não é definitiva.

    No julgamento, a defesa de Robinho também contestou as traduções feitas nas interceptações telefônicas e apresentou uma espécie de dossiê com diversos anexos do histórico pessoal da vítima, contendo principalmente fotos.

    A vítima foi defendida pelo advogado Jacopo Gnocchi. Em entrevista a VEJA em 23 de outubro, Gnocchi disse que sua expectativa era pela confirmação da sentença. “Esperamos que se confirme a sentença de primeiro grau. Foi uma condenação correta, condizente com as provas robustas coletadas na investigação.”

    Robinho chegou a ser anunciado pelo Santos em outubro, naquela que seria sua quarta passagem pelo clube. A repercussão ruim sobre o processo fez com o Santos repensasse a contratação. O clube afirmou em 16 de outubro ter optado pela suspensão do contrato firmado até fevereiro de 2021.

    A divulgação das transcrições de interceptações telefônicas divulgadas pelo site do Globo Esporte levou diversos parceiros do clube a condicionarem suas permanências à rescisão de contrato com o jogador. Se optasse por bancar Robinho, o clube poderia ficar sem nenhum de seus patrocinadores. PLACAR apurou que os valores somados das dezesseis empresas que possuem contrato se aproximam a 28 milhões de reais anuais.

    Continua após a publicidade
    Publicidade