Clique e assine a partir de 9,90/mês

Documento mostra versão do goleiro Jean e das filhas do casal

Justiça dos Estados Unidos divulga a íntegra do boletim da prisão do jogador do São Paulo e traz novos detalhes sobre a agressão em hotel de Orlando

Por Alexandre Salvador, Luiz Felipe Castro - Atualizado em 19 dez 2019, 20h03 - Publicado em 19 dez 2019, 12h36

Novos detalhes do incidente que causou a prisão do goleiro Jean Fernandes, do São Paulo, acusado de agredir sua esposa, Milena Bemfica, durante as férias em Orlando, nos Estados Unidos, foram revelados nesta quinta-feira 19. O boletim de prisão do jogador tornou-se disponível na íntegra no arquivo da Justiça da Flórida, e apresentou a versão do atleta e também das filhas do casal.

Na terça-feira, algumas horas depois do ocorrido, a delegacia do Condado de Orange, na Flórida, Estados Unidos, divulgou um documento, ao qual VEJA teve acesso, que preservava o nome da vítima e outros detalhes. Nele, foi relatado que Milena levou, ao todo, oito socos do atleta durante uma discussão e agiu em legítima defesa ao atacar Jean com uma prancha de cabelo.

O novo documento, sem tarjas, revela que quem fez a denúncia para a polícia foi o hotel, Marriot Fairfield, e que os seguranças do local levaram o policial até o quarto do casal. Informa também a versão de Jean, que diz ter iniciado a discussão depois que a esposa o viu falando ao celular com outra mulher. “Jean me disse que então Milena o bateu na testa com a prancha de cabelo e depois o mordeu na coxa. Pedi para ele me mostrar o local e pude ver um pequeno ferimento na coxa”, relatou o policial no boletim.

“Pedi então que Jean me explicasse como Milena conseguiu mordê-lo nesta região e ele não soube explicar. Ele então disse que tudo não passou de um mal-entendido”, prosseguiu o policial. Ele então deu a versão de Milena, de que o casal discutiu na madrugada e que a esposa se defendeu dos socos que levou com a prancha de cabelo, que quebrou na cabeça de Jean.

Continua após a publicidade

Outro detalhe importante que havia sido suprimido anteriormente revela que o policial conversou com as filhas do casal, que confirmaram ter visto Jean dando socos em Milena. O jogador, que terá contrato rescindido pelo São Paulo, participará na tarde desta quinta de uma audiência que definirá os novos rumos de seu caso. Apesar do episódio violento, Milena, que chegou a postar nas redes sociais um pedido desesperado de socorro, preferiu não prestar queixa.

 

Mulher de Jean, goleiro do São Paulo, relata agressões Reprodução/Miguel Schincariol/Getty Images

Na noite de quarta-feira, Milena se manifestou nas redes sociais. Agradeceu pelas mensagens de apoio e pediu “respeito neste momento delicado”.

Postagem de Milena enfica nas redes sociais
Postagem de Milena Bemfica nas redes sociais Instagram/Reprodução

Leia abaixo a tradução da íntegra do boletim de prisão:

No dia 18 de dezembro de 2019, aproximadamente às 4h35, eu, o chefe de polícia Edgar Castillo, respondi ao Marriot Fairfield em referência à violência doméstica. Encontrei com Milena Menezes e Jean Fernandes. Jean foi indicado como o agressor e preso por violência doméstica.

Continua após a publicidade

Minha investigação revelou o seguinte: No dia 18 de dezembro de 2019, aproximadamente às 4h35, eu, o chefe de polícia Edgar Castillo, respondi para Marriot Fairfield em referência à violência doméstica. Na minha chegada ao local, a segurança do hotel já estava na cena e me direcionou para o quarto 429. Quando cheguei ao homem branco (Jean Fernandes), a mulher branca (Milena Menezes) veio até a porta. Percebi que o rosto dela estava inchado e ela tinha hematomas abaixo dos dois olhos. Jean também tinha um pequeno ferimento na testa. Como tentei conversar com ambos, Jean não queria cooperar e foi preso algemado para que eu pudesse prosseguir com a investigação. Como Jean estava algemado, eu li para ele os seus direitos antes de questioná-lo sobre o incidente. Jean afirmou que ele e sua esposa estavam de férias do Brasil e tiveram uma discussão porque Milena o viu conversando ao telefone com outra mulher. Jean me disse, então, que Milena o atingiu na testa com a prancha de cabelo e o mordeu na região da coxa esquerda. Pedi que ele me mostrasse o local e pude ver um pequeno ferimento na coxa. Pedi então que Jean me explicasse como Milena conseguiu mordê-lo nesta região e ele não soube explicar. Ele então disse que tudo não passou de um mal-entendido. Nenhuma outra pergunta foi feita. Então eu conversei com Milena, que me contou a história verbalmente e escrita sob juramento. Ela e Jean discutiram no quarto e ela tentava acalmar Jean porque suas filhas estavam dormindo. Eles foram para o banheiro para discutir, mas Milena queria ir para a cama. Quando ela foi para a cama, Jean a seguiu e puxou-a para o chão. Ele então subiu em cima dela e desferiu três socos em seu rosto. Ela contou que pegou a prancha de cabelo bateu em Jean para se defender. A prancha de cabelo quebrou quando Jean foi atingido na cabeça. Eles se levantaram e Jean continuava a ser agressivo com ela. Ela brigou com ela novamente, então ela atirou a prancha de cabelo na perna dele, o que causou um corte. Ela tentou sair do quarto, mas Jean a agarrou pelo cabelo a arrastou para o banheiro, onde desferiu mais cinco socos no rosto. Ela não quis abrir processo por causa do incidente. Milena preencheu um formulário de violência doméstica e recebeu um cartão com o número da ocorrência. Conversei com as filhas do casal quando elas estavam mais calmas e ambas contaram versão semelhante,  de que Jean desferiu socos no rosto dela. Fotos das lesões sofridas por Milena e Jean foram tiradas e enviadas ao banco de dados como evidências. Ela recebeu atenção médica no local do incidente, enquanto Jean foi transportado para o hospital Dr. Phillips para tratar seus ferimentos. Baseado na minha investigação com os depoimentos e observações na cena, entendo que Jean é o agressor principal deste incidente e causou lesões corporais propositais a Milena. As lesões que ele sofreu foram por legítima defesa dela, portanto ela não foi acusada de nenhum crime. Jean foi transportado para o Orange County Jail pelo incidente. Ele não desejou notificar o Consulado brasileiro.

Publicidade