Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Jogos de Tóquio: seleção masculina bate Alemanha com brilho de Richarlison

Na reedição da última final, atuais campeões baixaram o ritmo no segundo tempo, mas confirmaram o triunfo por 4 a 2 em Yokohama

Por Da Redação Atualizado em 22 jul 2021, 10h38 - Publicado em 22 jul 2021, 10h25

A seleção brasileira masculina iniciou a caminhada pelo bicampeonato olímpico nos Jogos de Tóquio com vitória por 4 a 2 sobre a Alemanha, numa reedição da última final, na manhã desta quinta-feira, 22. O jogo aconteceu no Estádio Yokohama, justamente onde o Brasil bateu o rival no último título mundial, em 2002. O atacante Richarlison parece ter se inspirado no ídolo Ronaldo Fenômeno e foi o destaque do duelo com três gols na primeira etapa. No complemento, no entanto, Brasil correu riscos e deixou o adversário reagir perigosamente.

O time treinado por André Jardine e liderado pelo veterano Daniel Alves, de 38 anos, já começou o jogo pressionando e marcou o primeiro aos seis minutos. Antony deu linda enfiada para Richarlison que chutou duas vezes, a primeira defendida pelo goleiro Müller, para abrir o placar. O jogador do Everton foi convocado de última hora, após a exigência do Flamengo de não liberar Pedro, pediu a camisa 10 e aproveitou muito bem a oportunidade.

Antes do segundo gol, Richarlison e o meia Claudinho já haviam desperdiçado boas chances. Aos 21, o camisa 10 recebeu cruzamento perfeito de Guilherme Arana e marcou o segundo. Com poucas peças de destaque em seu time sub-23 (muitos deles jogaram a Eurocopa e/ou não foram liberados por seus clubes para a disputa fora da data Fifa), a Alemanha demonstrou enorme fragilidade defensiva.

  • Aos 29, Richarlison recebeu de Matheus Cunha, ajeitou o corpo e marcou o terceiro com categoria. No último minuto do tempo regulamentar, a arbitragem assinalou pênalti em toque no braço de Henrichs. Matheus Cunha bateu firme, mas à meia altura, e o goleiro Müller evitou a goleada ainda na primeira etapa.

    Na segunda etapa, o Brasil baixou o ritmo e a Alemanha descontou aos 11 minutos em chute de Nadiem Amiri que quicou e enganou o goleiro Santos. O atual campeão melhorou aos poucos e voltou a criar boas chances com Antony, em tiro por cima da meta, e com Bruno Guimarães, que chutou para boa defesa de Müller. Aos 38, Ragner Ache subiu às costas de Diego Carlos e marcou o segundo da Alemanha de cabeça. O jogo ganhou contornos dramáticos desnecessários, mas o Brasil selou a vitória com um belo gol de Paulinho.

    Pelo outro jogo do Grupo D, a Costa do Marfim, próximo adversária do Brasil, no domingo 25, bateu a Arábia Saudita por 2 a 1. Nos outros jogos desta quinta, a Argentina foi surpreendida por 2 a 0 pela Austrália, enquanto o México não tomou conhecimento da França: 4 a 1. A Espanha, apontada como uma das favoritas por ter conseguido a liberação de nomes como Unai Simón, Pedri e Dani Olmo, não passou de um empate sem gols com o Egito.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade