Clique e assine a partir de 9,90/mês

Jogo na Espanha é suspenso após torcida chamar adversário de nazista

Hoje jogando pela Albacete, ucraniano Roman Zozulya retornou ao estádio do Rayo Vallecano e foi recebido com faixas e gritos de protesto

Por Da Redação - Atualizado em 15 dez 2019, 23h30 - Publicado em 15 dez 2019, 23h07

A partida entre o mandante Rayo Vallecano e Albacete, em Madri, válido pela segunda divisão do Campeonato Espanhol, foi interrompida neste domingo, 15, depois que o atacante ucraniano Roman Zozulya reclamou das faixas e gritos da torcida da casa, que o chamavam de nazista. Foi a primeira vez que um jogo foi suspenso na Espanha devido a reações das arquibancadas.

O incidente remonta a fatos ocorridos há dois anos. Em 2017, Zozulya foi contratado pelo próprio Rayo Vallecano, pequeno clube de Madri conhecido por ter uma das torcidas mais progressistas do mundo, com campanhas constantes contra racismo e homofobia. O jogador, hoje com 30 anos, no entanto, teve seu contrato rescindido devido à pressão da torcida organizada Bukaneros, que não aceitou suas ligações com movimentos de ultradireita da Ucrânia e alguns gestos de apoio ao nazismo, escancarados em postagens antigas nas redes sociais.

Neste domingo, o jogador teve uma recepção especial no reencontro. Faixas como “Zozulya não é bem-vindo” e gritos como “Zozulya, p… nazista” foram vistos e ouvidos na primeira etapa, que terminou empatada em 0 a 0. O jogador deixou o campo em Vallecas provocando a torcida ao colocar a mão no ouvido, como se pedisse mais insultos. Em seguida, o Albacete se negou a voltar ao campo e a arbitragem optou pela suspensão da partida.

La Liga, a entidade que gere o campeonato, divulgou um comunicado apoiando a ação do Albacete e disse que “continua trabalhando contra a violência, o racismo e a xenofobia nos estádios e manifesta sua mais sincera repulsa sobre o ocorrido.” Ainda não há uma definição sobre se e quando haverá uma nova partida. O Rayo é o 15º colocado, três posições abaixo do Albacete.

Publicidade