Clique e assine a partir de 9,90/mês

Japonês com passagem pelo Milan, Honda será treinador do Camboja

Jogador assinou contrato de dois anos e terá reuniões semanais com o time por videoconferência

Por Da redação - Atualizado em 13 ago 2018, 12h13 - Publicado em 13 ago 2018, 11h57

Keisuke Honda, de 32 anos, ainda não se aposentou da carreira de jogador de futebol, mas iniciará a de treinador já em 2018. Recém-contratado pelo Melbourne Victory, para disputar o Campeonato Australiano, o meia japonês vai dirigir a seleção do Camboja a partir deste ano.

Jogador desde 2005, Honda jogou no Milan, da Itália, entre 2014 e 2017. Nos últimos dois anos esteve no Pachuca, do México, e disputou a última Copa do Mundo pelo Japão, inclusive marcando um dos gols no empate em 2 a 2 com Senegal na fase de grupos. Após o Mundial, foi contratado pelo Melbourne Victory e neste domingo foi anunciado como treinador da seleção cambojana.

O jogador-treinador assinou contrato de 2 anos com o país, 166° colocado no Ranking da Fifa e sem participações em Copas do Mundo. Aposentado da seleção japonesa após o último Mundial, ele terá uma reunião semanal com o time e membros da comissão técnica por teleconferência, e viajará para comandar a equipe nas datas-Fifa. Neste ano, pela primeira vez, o Campeonato Australiano será paralisado durante essas datas.

Participante das Eliminatórias para a Copa do Mundo desde 1998, ficando de fora apenas na edição de 2006, a seleção de Camboja tem 23 partidas e apenas duas vitórias. O melhor resultado da equipe no esporte é uma quarta colocação na Copa da Ásia de 1972, única da qual participou. Em 2017, foram dez jogos com nove derrotas e apenas uma vitória de 1 a 0 contra o Afeganistão. Em 2018, em dois jogos até aqui, uma vitória e uma derrota. No segundo semestre deste ano, o time terá dois amistosos e a participação na Copa AFF, torneio com seleções de menor tradição na Ásia.

Continua após a publicidade

 

Publicidade