Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

História de uma foto: a Laranja Mecânica de 1974

Na Copa do Mundo da Alemanha, o fotógrafo Sérgio Sade, de VEJA, teve o privilégio de registrar momentos do poderoso time holandês

Por Da Redação - 6 set 2019, 09h00

No Copa do Mundo da Alemanha, em 1974, os fãs de futebol tiveram o privilégio de acompanhar a ascensão de uma das melhores equipes de futebol da história: a seleção holandesa, que ficou conhecida como Laranja Mecânica – em homenagem à cor da camisa e ao nome do filme de Stanley Kubrick, de 1971. Os holandeses, apesar de perderem o título da competição, encantaram pelo jeito irreverente de jogar, chamado de Futebol Total, que inspira até hoje equipes de sucesso como Barcelona, Ajax e Manchester City.

O Futebol Total, onde todos marcavam e atacavam, deu origem ao famoso Carrossel Holandês, que goleou fortes adversários, como a Argentina, além de eliminar a seleção brasileira com vitória por 2 a 0. O esquema de jogo implantado pelo técnico Rinus Michels, que à época comandava o Barcelona, foi um sucesso na Copa e ajudou a Holanda, do jovem fenômeno Johan Cruyff, a terminar o torneio com cinco vitórias, um empate e uma derrota, justamente contra a Alemanha Ocidental na final, de virada, por 2 a 1.

“Talvez nós fomos os verdadeiros vencedores no final da história. Eu acho que o mundo lembra mais da nossa equipe do que a deles (Alemanha Ocidental)”, disse Cruyff, em entrevista ao jornal inglês The Guardian, em 2014, dois anos antes de falecer de um câncer no pulmão.

O sucesso holandês na Copa de 74 pôde ser registrado pela câmera do fotógrafo Sérgio Sade, de VEJA, um dos privilegiados que acompanhou de perto a forma peculiar com que a Holanda jogava. “Tive a sorte de fotografar Holanda x Argentina. Chamava atenção, a Holanda atacava com 10 e defendia com 10. Foi um show de bola do Cruyff, Krol e Neskens”, comentou.

Publicidade

Publicidade