Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

GRUPO B – Portugal: título europeu em 2016 elevou a ambição nesta Copa

Sonho dos lusitanos, semifinalistas em 1966 e 2006, agora é o título. Grande fase de Cristiano Ronaldo, melhor jogador do mundo, justifica a meta

Por Fernando Beagá - Atualizado em 15 jun 2018, 15h12 - Publicado em 15 maio 2018, 13h01

A seleção de Portugal vive certamente o melhor momento de sua história. Das sete participações, essa, na Copa do Mundo da Rússia, será a quinta seguida, a quarta contando com Cristiano Ronaldo. O midiático e eficiente atacante já levou seu país a uma semifinal, em 2006, àquela época uma revelação em um time emergente, treinado por Luiz Felipe Scolari. Neste ano, a equipe que está no Grupo B, ao lado da poderosa Espanha, não mira um patamar abaixo do que já alcançou. Afinal, foi eleito o melhor jogador do mundo nos dois últimos anos (de um total de cinco), liderou a “seleção das quinas” na conquista da Eurocopa-2016 e ainda tem uma frustrante desclassificação na primeira fase de 2014 como lição.

Tabela completa de jogos da Copa do Mundo 2018

Resta saber qual versão do time comandado por Fernando Santos estará em campo no mundial. Apesar do triunfo de 2016, aquela campanha foi sofrida (quatro empates e apenas nove gols em sete jogos) e contrasta com o volume de gols (3,2 por jogo) nas Eliminatórias Europeias, quando terminou na liderança de seu grupo, empurrando a Suíça para a repescagem.

O que pesa a favor do otimismo lusitano é que Santos não teve receio de mexer na base que ganhou o torneio continental. Desde então, deu espaço a jovens atletas, principalmente nas parcerias de ataque com o grande ídolo. Bernardo Silva, do inglês Manchester City, prefere participar da criação de jogadas a fazer gols (deu mais de uma dezena de passes decisivos nesta temporada). Já André Silva, que busca afirmação em seu primeiro ano no Milan, da Itália, é uma realidade na seleção — fez nove gols em dez jogos nas Eliminatórias. Por outro lado, o centroavante Éder, herói no gol do título continental sobre a França, perdeu espaço.

Publicidade

Entre os veteranos, além de Cristiano — sim, aproveite, ele já tem 33 anos —, estão os zagueiros Bruno Alves e Pepe, o meia João Moutinho e o meia-atacante Ricardo Quaresma. Nomes importantes para ajudar os que debutam em Copa do Mundo. Especialmente André Gomes. Recentemente, o volante de 24 anos admitiu passar por problemas emocionais, que surgiram a partir da pressão de defender o Barcelona, da Espanha. Na Rússia, terá que lidar com a alta expectativa que sua seleção criou. Pelo menos, o maior astro da competição será um escudo para os demais.

Portugal e Espanha já se enfrentam na estreia de ambas, em 15 de junho, e são favoritas às duas vagas na chave, só não podem tropeçar nos mais humildes Marrocos e Irã.

Navegue pelo mapa e conheça as seleções e as cidades-sede


Publicidade