Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Goleiro do Borussia critica Uefa: ‘Só pensam em dinheiro’

Roman Burki afirmou ainda que teve dificuldades para jogar durante a derrota por 3 a 2 para o Monaco em casa

Roman Burki, goleiro do Borussia Dortmund, afirmou em entrevista ao jornal suíço Der Bund que ainda sofre com problemas para dormir após vivenciar o ataque terrorista ao ônibus da equipe alemã, na terça-feira da semana passada. O veículo levava a delegação para o Signal Iduna Park, em Dortmund, onde enfrentaria o Monaco pelas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa.

“Eu ainda tenho problemas ao dormir. Esta é a pior coisa, não conseguir dormir uma noite inteira. Quando eu acordo, agradeço por estar na cama em casa, com minha família perto de mim”, disse Burki. De acordo com a polícia local, ocorreram três explosões próximas ao ônibus do Borussia, que teve vidros quebrados e um jogador ferido, Marc Bartra.

O jogador criticou a maneira como a equipe alemã foi tratada pela Uefa após o ataque. Para o suíço, o elenco não teria jogado a partida na quarta-feira se tivesse poder de escolha. O jogo, que seria realizado no final da tarde de terça-feira, foi transferido para o dia seguinte apenas.

“Antes de jogar, nós choramos, mas tínhamos que ir, já que havia milhões de pessoas assistindo. Senti que tudo gira em torno de dinheiro. Ouvi da Uefa que a partida seria cancelada apenas se alguém tivesse falecido. É um desaforo. Durante o jogo, eu não consegui focar. Era como se tivesse um véu sobre os meus olhos, já que eu só reparava nas coisas um pouco tarde demais”, completou.

A equipe alemã sofreu a derrota em casa por 3 a 2 para os monegascos. A partida de volta será nesta quarta-feira, às 15h45, no estádio Louis II, em Mônaco, e o Borussia precisa de dois gols de diferença para se classificar.