Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ganham muito e não jogam: os renegados do futebol paulista

Jogadores de Palmeiras, Corinthians e São Paulo foram afastados em suas equipes. Mas continuam a receber gordos salários

Quem não gostaria de receber um alto salário, na faixa de 300.000 reais mensais, para não trabalhar? Esta é a situação atual de alguns jogadores renomados no futebol paulista, que chegaram a esta situação pelo mau desempenho ou por desentendimentos com comissão técnica. Contestados nos últimos meses, Felipe Melo (Palmeiras), Cristian (Corinthians), Cícero e Lucão (ambos do São Paulo) foram afastados neste ano.

O volante Cristian, que conquistou a torcida do Corinthians em sua primeira passagem pelo clube, entre 2008 e 2009, não manteve o nível de seu futebol em seu retorno, em 2015. Assim, entrou em conflito com a diretoria e foi afastado em março deste ano. Sem jogar nenhuma partida oficial em 2017, o mineiro de 34 anos segue ganhando seu gordo salário de 420.000 reais.

No Palmeiras, o problema foi o meia Felipe Melo. Conhecido por sua forte personalidade, o carioca de 34 anos até vinha rendendo em campo, mas perdeu espaço com a chegada de Cuca, que não nutre muita simpatia pelo atleta – a má relação foi escancarada com um áudio vazado pelo jogador, criticando o treinador. Felipe Melo foi desligado do elenco, e colocado à venda. Enquanto nenhum clube o contrata, segue recebendo seus vencimentos mensais de 350.000 reais.

O São Paulo afastou dois jogadores: o meia Cícero, retirado do elenco nesta quarta-feira pelo treinador Dorival Júnior, e o zagueiro Lucão. O defensor perdeu espaço em junho, ao criticar o time após a derrota para o Atlético-MG pelo Campeonato Brasileiro. Cícero não jogará mais por queda em seu rendimento em campo.

Lesionados e reservas em fase negativa

Outros atletas estão em baixa nos clubes paulistas. No Palmeiras, o atacante colombiano Borja (salário estimado em pouco mais de 270.000 reais) e o goleiro Fernando Prass (acima dos 300.000 reais) amargam a reserva, após iniciarem o ano como peças fundamentais no esquema tático, mas falharem em suas funções. Ainda no clube, o volante Arouca segue em recuperação de uma cirurgia no tornozelo esquerdo, e sumiu do noticiário em 2017.

No Corinthians, o meia Giovanni Augusto, com salário estimado em 320.000 reais, tem sido pouco aproveitado pelo técnico Fábio Carille, e foi criticado por suas últimas atuações, principalmente no empate contra o Flamengo.