Clique e assine a partir de 9,90/mês

Flamengo x Bangu é confirmado para quinta; Botafogo e Flu protestam

Prefeito Marcelo Crivella se reúne com clubes nesta quarta para oficializar retomada; clubes que não voltaram a treinar prometem ir à Justiça

Por Alexandre Senechal - Atualizado em 17 jun 2020, 19h15 - Publicado em 17 jun 2020, 11h41

O futebol no Rio de Janeiro está prestes a voltar, antes mesmo de todos os clubes retornarem aos treinamentos – e bem antes de as curvas de contaminação do coronavírus no estado apresentarem uma melhora. Em mais uma tensa reunião por videoconferência na última terça-feira 16, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) não houve acordo, mas foram mantidas as datas propostas pela federação e pela maioria dos clubes. Desta forma, o Campeonato Carioca deve retornar nesta quinta-feira, 18, com a partida entre Flamengo e Bangu, no Maracanã, sem público, às 21 horas, e provavelmente sem transmissão de TV, pois o clube rubro-negro não chegou a um acordo com a TV Globo.

ASSINE VEJA

Os desafios dos estados que começam a flexibilizar a quarentena O início da reabertura em grandes cidades brasileiras, os embates dentro do Centrão e a corrida pela vacina contra o coronavírus. Leia nesta edição.
Clique e Assine

O retorno do Estadual atendeu aos anseios de Flamengo, Vasco e dos clubes pequenos, mas revoltou Botafogo e Fluminense, que nem sequer retornaram aos treinamentos presenciais e sempre se mostraram contrários ao retorno do futebol neste momento. De acordo com a tabela proposta pela Ferj, os clubes devem voltar a atuar na segunda-feira, 22 – o Fluminense diante do Volta Redonda e o Botafogo contra a Cabofriense. Os dois clubes já anunciaram que vão recorrer da decisão e o Estadual do Rio pode parar nos tribunais.

O presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej, classificou a decisão da federação de “profunda desconexão com a realidade”, e os dois clubes disseram que planejam ações judiciais por motivos de saúde e segurança para evitar ter que voltar a jogar agora. “Infelizmente, a maioria dos clubes entendeu ser o momento de voltar a disputar jogos, a despeito do cenário caótico vivenciado”, disse Mufarrej em comunicado. “Fomos contrários.”

“Nunca vi uma coisa tão maluca na minha vida. Se eles mantiverem as datas que estão querendo, não vamos jogar”, reforçou Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente e membro do comitê executivo de futebol botafoguense, em entrevista a PLACAR. O clube irá retornar aos treinos apenas nesta quinta-feira, 18, e teve cinco casos positivos dentro do elenco na primeira rodada de testes para a Covid-19 que realizou.

Continua após a publicidade

O presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, disse que seus jogadores, que estão sem atuar desde que as competições foram interrompidas em meados de março devido à pandemia, também não estão prontos para jogar novamente de forma competitiva.

“A pandemia persiste”, disse Bittencourt. “Como as datas marcadas (22 e 24) para o retorno dos nossos jogos são inaceitáveis, do ponto de vista da saúde de nossos atletas, não vamos a campo e vamos buscar as medidas na Justiça Desportiva para fazer valer o que é certo, já que se trata de um estado de calamidade pública.” O Macaé é o único, além de Botafogo e Fluminense, que ainda não voltou aos treinos, devido a um decreto municipal que proibia o retorno.

View this post on Instagram

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e os clubes que disputam a Série A do Campeonato Carioca de 2020 prosseguiram o Conselho Arbitral na noite de terça-feira. . A sugestão das datas para a retomada da Taça Rio estão mantidas – com a condicionante da publicação oficial do aval do governo. Caso este não seja publicado até esta quarta-feira, assim que acontecer, o jogo será realizado no dia seguinte. . Durante o arbitral, o presidente do Madureira, Elias Duba, apelou para que Botafogo e Fluminense revissem suas posições. E o vice-presidente de futebol do Volta Redonda, Flávio Horta, afirmou entender que dois clubes que optaram por não treinar, quando tinham autorização pelas autoridades, não podem servir de argumento agora de que não têm condições de jogar. . As datas debatidas e votadas pelo Colegiado foram: . Dia 18 – Bangu x Flamengo . Dia 19 – Portuguesa x Boavista . Dia 21 – Vasco x Macaé; Madureira x Resende . Dia 22 – Fluminense x Volta Redonda; Botafogo x Cabofriense.

Continua após a publicidade

A post shared by FERJ (@fferjoficial) on

O retorno do Carioca agora depende apenas de uma reunião entre a prefeitura do Rio e os clubes, marcada para esta quarta-feira, 17. O prefeito Marcelo Crivella, no entanto, já havia regularizado o retorno, alegando que a retomada das competições esportivas sem a presença de público está prevista na chamada “Fase 2” do plano de flexibilização de isolamento.

“A (nova) fase permite (a volta), mas depende da federação, porque Botafogo e Fluminense querem e têm todo o direito (de contestar). Ninguém é obrigado a seguir os passos da Prefeitura. Eles não querem jogar. Para não ter judicialização e suspensão do Campeonato, a ideia é fazer um acordo”, declarou Crivella na terça-feira. O Rio de Janeiro tem mais de 7.000 mortes e 80.000 casos confirmados de Covid-19, além da maior taxa de letalidade do país (9,55%).

Continua após a publicidade

Na noite desta quarta, o meia japonês Keisuke Honda, contratação mais badalada do Botafogo na temporada, se posicionou nas redes sociais. “16 e junho. Infecções: 34.918, Mortes: 1.282. Estou louco de querer saber qual a razão lógica para recomeçar a liga?”, escreveu o veterano.

(com Reuters)

Publicidade