Clique e assine a partir de 9,90/mês

Flamengo recua e libera transmissão gratuita após problemas com plataforma

Falhas na plataforma de streaming MyCujoo e reclamações dos torcedores fizeram o clube rever posição e abrir sinal da partida na FlaTV

Por Da Redação - Atualizado em 5 jul 2020, 18h42 - Publicado em 5 jul 2020, 16h20

Após horas de impasse e protestos nas redes sociais, o Flamengo decidiu liberar gratuitamente a transmissão da semifinal da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca, contra o Volta Redonda, no Maracanã, em seu canal no YouTube, a FlaTV. Em mais um capítulo da batalha jurídica que o clube vem travando com a TV Globo, o jogo seria transmitido com exclusividade na plataforma de streaming MyCujoo, com a cobrança de ingresso (10 reais por usuário no Brasil ou oito dólares para quem estivesse no exterior, valor isento para sócios-torcedores).

Boa parte da torcida – que já estava irritada com a decisão do clube de cobrar pela transmissão, diferente do que ocorreu na última partida, contra o Boavista –, relatou problemas para efetuar o pagamento ou acessar a plataforma. A instabilidade fez a diretoria optar pela liberação do sinal, anunciada minutos antes de o jogo começar, às 16h. O Flamengo venceu o jogo por 2 a 0, com dois gols de Bruno Henrique, e se classificou à decisão, diante do Fluminense, que empatou em 0 a 0 com o Botafogo, no Estádio Nilton Santos, na outra semifinal.

Desde a edição da Medida Provisória que deu ao time mandante a prerrogativa de negociar sozinho como quer negociar os direitos de transmissão de suas partidas, o Flamengo já exibiu um jogo pela internet: contra o Boavista, na última quarta-feira, a disputa também foi exibida de graça pelo YouTube. Na ocasião, o clube celebrou a audiência na FlaTV.

A transmissão registrou mais de 14 milhões de visualizações no Youtube e fez o canal chegar a 4,2 milhões de inscritos. O pico ocorreu por volta das 22h15 (horário de Brasília), quando 2,2 milhões de espectadores assistiam ao jogo simultaneamente em todas as plataformas (Youtube, Facebook, Twitter e MyCujoo). Mesmo se tratando de um duelo irrelevante de Estadual, o jogo superou em audiência o clássico entre Grêmio e Inter, válido pela Copa Libertadores, que teve pico e 2,1 milhões no canal da Conmebol no Facebook.

Além disso, o clube conseguiu arrecadar cerca de 700 000 reais em doações voluntárias dos torcedores. Apesar de bastante relevantes, os números foram considerados insuficientes pela diretoria, que decidiu testar o formato de cobrança compulsória de 10 reais. A medida, no entanto, provocou revolta em parte da torcida, que inclusive pichou os muros da sede do clube na Gávea.

Continua após a publicidade

Rodolfo Landim, presidente do rubro-negro, justificou a decisão de vender o jogo na plataforma MyCujoo “O momento é difícil para todo mundo. É difícil pro Flamengo também. A gente tem que pagar jogadores, tem que honrar os compromissos”, disse o mandatário ao canal Fox Sports, no sábado 4. “Se ninguém pagar, o Flamengo não tem condição de colocar o time que ele bota em campo.”

O clube divulgou um comunicado em seu site oficial dizendo que o valor de 10 reais correspondia a, aproximadamente, um quarto do preço de um ingresso de um jogo de semifinal no estádio do Maracanã. “Vale lembrar que, com a transmissão online, toda a família pode assistir reunida, pagando um único acesso, o que torna o valor unitário ainda menor”, pontuou o Flamengo.

A situação, no entanto, fugiu do controle com o excessivo número de reclamações de torcedores que não conseguiam acessar a plataforma de streaming. A MyCujoo informou que o “extraordinário interesse” neste jogo causou interrupções em seu processador de pagamentos e pediu desculpas pela “inconveniência”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade