Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Flamengo e Palmeiras, os mais ricos do Brasil em 2019

Clubes foram os maiores compradores dos últimos anos

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 30 jan 2019, 11h28 - Publicado em 30 jan 2019, 11h27

A atual janela de transferências consolidou os dois novos ricos do futebol brasileiro. Flamengo e Palmeiras investiram juntos mais de 180 milhões de reais em contratações. Os dois concentram sozinhos cerca de 25% do valor de mercado de todos os elencos da Série A do Campeonato Brasileiro. Segundo dados do site Transfermarkt, especializado em transferências de jogadores, Palmeiras e Flamengo juntos valem 814 milhões de reais – do total de 3,2 bilhões de reais de todo o campeonato.

Paulistas e cariocas apresentam o mesmo motivo para explicar como se transformaram em potências: profissionalização da gestão e a responsabilidade fiscal como soluções para superar dívidas, aumentar receitas e ter recursos para contratações de peso. O ex-presidente do clube de 2013 a 2018, Eduardo Bandeira de Mello,  disse ter encontrado no começo da gestão uma dívida de 750 milhões de reais e com parte das receitas penhoradas.

Mercado do futebol: quem chegou e quem saiu em 2019 na Série A

Assim como outras equipes, o Flamengo aderiu ao Profut, programa de refinanciamento das dívidas criado em 2015. O clube destinou 15% do faturamento para abater dívidas, procurou profissionalizar a gestão e deixou para trás a fama de mau pagador. “É preciso ter profissionais em ação. Por mais que o Flamengo faça contratações ousadas, sempre paga em dia e honra seus compromissos”, afirmou Bandeira.

Grande parte dos recursos para contratar vieram das vendas de jogadores das categorias de base: as transferências de Vinícius Junior, para o Real Madrid, e de Lucas Paquetá, para o Milan, renderam mais de 300 milhões de reais – já foram usados mais de 108 milhões de reais em contratações.

  • Palmeiras

    O Palmeiras é um grande comprador desde 2015, quando passou a contar no caixa com o empréstimo do então presidente Paulo Nobre, e mais a verba da Crefisa, responsável por injetar apenas nesta temporada mais de 100 milhões de reais, incluindo patrocínio, luvas e pagamentos de salários de jogadores.

    “Quando cheguei ao clube (em 2015), o Palmeiras passava por uma reestruturação, se modernizou e é agora totalmente profissional na sua gestão”, disse Zé Roberto, que atualmente trabalha como assessor da diretoria do clube.

    Para o sócio-diretor da Sports Value, Amir Somoggi, que analisa há 15 anos finanças dos clubes, “o Flamengo é hoje o clube com o maior potencial financeiro do futebol brasileiro. Em quatro anos, acumulou lucros de 507 milhões de reais e transformou o patrimônio líquido de negativo para positivo”.

    Segundo Somoggi, o Palmeiras está no mesmo nível de Flamengo por ter sido eficiente em segmentos em que o time carioca é superior, como exposição na mídia e quantidade de torcedores. “O Palmeiras está em uma boa situação financeira por méritos próprios. Por mais que o patrocínio seja 30% do orçamento, o estádio Allianz Parque também faz muita diferença.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade