Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fifa muda regras sobre sedes de Copa após confusão com Catar

Gianni Infantino, presidente da entidade, afirmou que países que não cumprirem requisitos mínimos serão descartados do processo de candidatura

Em meio a acusações de que membros da Fifa teriam vendido seus votos para que o Catar fosse escolhido como sede da Copa de 2022, a entidade aprovou novas regras para candidaturas aos Mundiais a partir da edição de 2026, e prometeu que o processo de definição do anfitrião do torneio passará por uma auditoria externa.

Gianni Infantino, presidente da Fifa, indicou que, a partir de agora, informes técnicos serão realizados e países que não cumprirem critérios mínimos serão eliminados do processo. Um grupo de técnicos ainda foi designado para avaliar os países interessados em realizar o Mundial. “Fizemos tudo o que era humanamente possível para ter regras claras. As condições de candidaturas serão muito mais duras”, garantiu.

No caso da definição das sedes das edições de 2018 e 2022 da Copa do Mundo, essa avaliação também existia, mas não tinha qualquer impacto na votação. O Catar e a Rússia, por exemplo, foram as candidaturas que receberam as piores avaliações. Mas, mesmo assim, ficaram com os eventos.

No caso do Brasil, em 2014, sequer houve exigência técnica. “Pelo que ocorreu no passado, queremos ter certeza que o processo agora é a prova de bala”, disse Infantino. Para 2026, a candidatura conjunta de Estados Unidos, Canadá e México é a grande favorita. Questionado, porém, sobre o início dos julgamentos nos tribunais de Nova York de ex-dirigentes da Fifa, Infantino desconversou. “Quero falar do futuro. Não do passado. Colocamos novas regras, trabalhamos para o futuro”.