Clique e assine a partir de 8,90/mês

Especial Libertadores: os 7 clubes brasileiros nas palavras de seus ídolos

Pepe (Santos), Nunes (Flamengo), Zetti (São Paulo), Alex (Palmeiras), Cocito (Athetico), De León (Grêmio) e Tinga (Inter) recordam glórias e projetam futuro

Por Da Redação - Atualizado em 12 mar 2020, 10h21 - Publicado em 6 mar 2020, 08h00

A Copa Libertadores da América 2020 teve início nesta semana com sete clubes brasileiros. O objetivo de todos eles é um só: estar no Maracanã na decisão de 21 de novembro. Como parte do guia sobre a competição, que chega às bancas de todo o Brasil no próximo dia 13, PLACAR ouviu sete ex-jogadores que brilharam intensamente no torneio mais desejado do continente: os campeões Pepe (Santos, em 1962 e 1963), Nunes (Flamengo, em 1981), Zetti (São Paulo, em 1992 e 1993), Alex (Palmeiras, em 1999), De León (Grêmio, 1983), Tinga (Inter, 2006 e 2010) e Cocito (vice-campeão com o Athletico Paranaense em 2005). Ídolos absolutos em seus clubes, os ex-jogadores relembraram suas campanhas de destaque, as características principais do torneio e suas expectativas para esta edição.

As entrevistas serão publicadas entre os dias 3 e 12 de março. Clique, abaixo:

3/3 – Pepe: “O Santos poderia ter uns dez títulos da Libertadores”

4/3 – Nunes aprova final única e vê Flamengo como potência do continente

5/3 – Zetti: ‘Na Libertadores não tem que jogar bonito, tem que ganhar’

10/3 –‘A Libertadores se joga em campo e nos bastidores’, diz Alex, ídolo do Palmeiras

11/3 – Cocito: ‘O Athletico quer ser protagonista’

12/3 – De León, ídolo do Grêmio: ‘Desmoralizaram a Libertadores por dinheiro’

12/3 – Tinga: ‘A maior lembrança é o gol do título pelo Inter, meu time do coração’

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade