Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Edmundo discute ao vivo com colegas sobre gesto de Gabriel

Ex-jogador bateu boca com comentaristas Eugênio Leal e Paulo Vinícius Coelho no Fox Sports: "Vocês estão falando uma besteira tão grande"

Por Da redação Atualizado em 27 set 2017, 14h54 - Publicado em 26 set 2017, 10h15

O ex-jogador e hoje comentarista Edmundo discordou de seus colegas de Fox Sports durante um acalorado debate sobre o gesto obsceno do volante Gabriel, do Corinthians, em provocação à torcida do São Paulo, no clássico do último domingo. Durante o programa Expediente Futebol desta segunda-feira, Edmundo bateu boca com os comentaristas Eugênio Leal e Paulo Vinícius Coelho e criticou o fato de que “só jogador de futebol tem de ser exemplo.

“Posso falar uma coisa? Eu já fiz igual o Gabriel e não estou aqui defendendo ele, não, mas tem que fazer um estatuto do atleta, também. Esse negócio de bullying, de xingar… A torcida não tem só razão, não, gente. Acho que ele está errado, há um exagero da parte dele, mas quero falar de educação: se cobra muito de jogador de futebol e não se dá nada a jogador de futebol. Se cobra dele um exemplo que a gente não tem do país”, afirmou Edmundo.

Paulo Vinícius Coelho criticou o jogador pela “atitude adolescente” e Eugênio Leal foi mais duro. “Me desculpe, o jogador de futebol tem de ter consciência do que ele representa para a sociedade e dão, sim, a ele. Jogador de futebol tem um salário muito superior ao da média da sociedade brasileira.” Nesse momento, Edmundo explodiu. “Ai, meu Deus, vocês estão falando uma besteira tão grande.”

  • “Tem artista, jornalista, todo mundo faz coisa errada, só que só quem tem que dar exemplo é jogador de futebol? Está errado. E apresentador ganha fortuna, artista ganha fortuna, cantor ganha fortuna”, afirmou Edmundo. O apresentador João Guilherme e o comentarista Leandro Quesada, então, tentaram descontrair. “Apresentador e comentarista ganham fortuna? Só você né?!”

    O debate seguiu em tom bastante civilizado, mas Eugênio Leal manteve seu ponto de vista. “O pedido de desculpas do Gabriel é válido, acabou, morreu aí. Só acho que a gente tem que pontuar o seguinte: não está certo. O problema é que tem muita gente que acha que é isso, mesmo. Um monte de gente diz ‘Ah, tem que ser assim mesmo, futebol raiz, futebol tá ficado chato, não sei o quê’ Não, gente. Não está legal, não é certo e acho que ele mesmo entendeu isso.”

    Edmundo, que já discutiu de forma áspera com colegas em outras oportunidades, permaneceu calado enquanto os outros comentaristas falavam sobre o caso de Gabriel. Quesada seguiu defendendo o discurso de Edmundo, dizendo que se fosse ofendido na rua também rebateria. Eugênio Leal, então, retrucou: “Ô Quesada, vem cá, na boa… jogador de futebol, jogando um clássico, no campo adversário, sabe que a torcida vai vaiar, é natural… O que o Gabriel fez ali não foi responder nenhum xingamento, foi provocar a torcida adversária na hora que o time dele fez o gol. Fez um ato infantil, acabou, ponto, ele mesmo admitiu que errou, acabou, não tem que ficar inventando justificativa.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade