Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Diretor da Conmebol explica negativa ao River: ‘Não é questão de perdão’

Frederico Nantes ressalta que clube argentino não inscreveu 50 atletas no torneio e que Covid-19 não se enquadra em caso de lesão grave

Por Alexandre Senechal 18 Maio 2021, 17h46

Após ter negado o pedido do River Plate pela inscrição de dois novos goleiros, devido a um surto do novo coronavírus que atingiu 25 atletas do elenco, Frederico Nantes, diretor de competições de clubes da Conmebol, afirmou que o clube argentino não se valeu novo dispositivo criado pela entidade, que aumentou de 30 para 50 o número de inscritos para a competição.

Nas redes sociais, a entidade acabou alvejada pela decisão, uma vez que o time do técnico Marcelo Gallardo precisará escalar um jogador de linha no gol. O clube de Buenos Aires terá de enfrentar o Independiente Santa Fe, nesta quarta-feira, 19, no Monumental de Núñez, sem nenhum reserva.

“O River teve a oportunidade de inscrever 50 jogadores para afrontar esse tipo de situação, mas optou por 32. O dispositivo que foi criado era para aumentar a lista em mais de 60% [com relação ao último ano] e o River não utilizou”, disse Nantes em entrevista a PLACAR.

  • “Não é uma questão de perdão, é questão do que foi estabelecido, aprovado e publicado. Era de conhecimento de todos antes do início da competição, as regras eram claras para todos. Se não tiver um mínimo de sete jogadores eles perdem por W.O”, completa.

    Em seu regulamento, a Conmebol abre a possibilidade de realizar uma troca de goleiros, caso seja confirmada uma lesão grave. A entidade, no entanto, não inclui contaminação por Covid-19 neste contexto.

    Continua após a publicidade

    Para a atual edição, a entidade sul-americana permitiu a inscrição de até 50 jogadores para as suas competições, com substituições permitidas apenas nas fases eliminatórias, ou seja, nos mata-matas. Os quatro goleiros – Franco Armani, Enrique Bologna, Germán Lux e Franco Petro – testaram positivo para Covid-19 no último sábado e não poderão ser utilizados.

    O clube pediu pela inclusão dos goleiros Alan Leonardo Díaz e Agustín Gómez, alegando que um dos goleiros estava machucado, condição rejeitada pela Conmebol. “Eles mandaram a lista com 12 jogadores, mas sem goleiros. Pediram pra fazer uma substituição de goleiro por lesão grave, que foi negada porque não se enquadra nisso”, explica Nantes.

    O River Plate foi a quarta equipe que menos inscreveu jogadores na atual edição da Libertadores, ao lado da LDU. O Sporting Cristal, do Peru, só incluiu 26 atletas na lista e é o time com o menor elenco para a competição. O Deportivo Táchira e o Deportivo la Guaira, ambos da Venezuela, inscreveram 30 e 29 jogadores, respectivamente.

    O técnico Marcelo Gallardo tem apenas 11 dos 32 inscritos na Copa Libertadores fora da lista de contaminados e, portanto, aptos para entrar em campo. Para piorar, o zagueiro Pinola ainda se recupera de lesão; caso não consiga estar em campo, o River terá de entrar com um jogador a menos. O meia Enzo Pérez, que era um dos cotados para atuar como goleiro, se machucou no último domingo diante do rival Boca Juniors e também está fora.

    No último domingo, com 15 desfalques, o River foi eliminado da Supercopa Argentina pelo rival Boca Juniors, nos pênaltis, após empate em 1 a 1. Na ocasião, o escolhido foi Alan Leonardo Díaz, 21 anos, já que o regulamento da competição nacional permite o aproveitamento de jogadores das categorias de base.

    Continua após a publicidade
    Publicidade