Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Cruzeiro acusa empresário de zagueiro de furtar documentos sigilosos

Clube mineiro divulgou uma nota alegando que Fábio Mello, agente do zagueiro Fabrício Bruno, entrou em uma sala vazia para pegar os arquivos

Por Da Redação Atualizado em 30 dez 2019, 13h01 - Publicado em 30 dez 2019, 12h54

Depois dos escândalos de corrupção e o inédito rebaixamento para a segunda divisão, o Cruzeiro se envolveu em mais uma polêmica em 2019. O clube mineiro acusou nesta segunda-feira 30 o empresário Fábio Mello, agente do zagueiro Fabrício Bruno, de furtar documentos sigilosos após uma reunião para acertar a situação do atleta. A equipe soltou uma nota oficial em seu site para falar sobre o episódio.

“O Cruzeiro EC vem a público lamentar o comportamento do agente de jogadores, Fábio Mello, que após uma reunião com o CEO do Núcleo Dirigente Transitório, Vittorio Medioli, tentou se apoderar de alguns documentos sigilosos do Clube, retornando à sala de reuniões que, no momento, estava vazia”, diz o comunicado.

Segundo o clube, Mello teria “se aproveitado” de uma saída de Medioli da sala para pegar os documentos, mas o dirigente percebeu a movimentação pelo reflexo do vidro e abordou o empresário na porta do elevador. O CEO cruzeirense teria conseguido recuperar parte dos papéis, mas só se deu conta de que o agente tinha conseguido levar um documento após uma conferência detalhada.

O Cruzeiro informou que Vittorio Medioli vai registrar um boletim de ocorrência na delegacia pelo caso. A reportagem não conseguiu contato com Fabio Mello até o momento.

A reunião aconteceu para resolver a situação do zagueiro. Há dois dias, Fábio Mello levou uma proposta de empréstimo com opção de compra para Fabrício Bruno do Celtic, da Escócia. O Cruzeiro não gostou dos valores e fez uma contraproposta. Horas depois, o jogador entrou na Justiça para pedir a liberação unilateral do contrato sob tutela de urgência. O juiz de 1ª instância rejeitou o pedido.

Continua após a publicidade
Publicidade