Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Croácia 3 x 0 Argentina: a culpa é mesmo de Messi?

Derrota que complicou a seleção sul-americana na Copa está na conta do técnico Sampaoli, que limitou seu craque taticamente, e do goleiro Caballero

Por Fernando Beagá Atualizado em 21 jun 2018, 17h58 - Publicado em 21 jun 2018, 17h26

O que um atacante com mais de seiscentos gols na carreira faz embolado no meio de campo, tentando dar lançamentos para seus colegas? Foi a essa função que Lionel Messi se limitou em boa parte da catastrófica atuação da Argentina na derrota para a Croácia, por 3 a 0, pelo Grupo D da Copa do Mundo da Rússia. O craque do Barcelona esteve apático, é verdade, mas somente de suas tentativas depende a bicampeã do mundo.

Tabela completa de jogos da Copa do Mundo de 2018

Ele tenta, esse é seu álibi. Foi buscar a bola no meio exatamente porque não há outro atleta criativo por ali — o técnico Jorge Sampaoli, mais uma vez, ignorou o habilidoso Dybala. Com estilo parecido ao de Messi, o jogador da italiana Juventus poderia dividir as preocupações da marcação croata e liberar o colega para ficar mais perto do gol. Quando entrou, tardiamente, não foi essa a solução proposta pelo técnico.

  • O gesto da cabeça baixa durante o hino nacional, imagem que instantaneamente rodou o mundo como profecia, foi repetido por Messi quando o goleiro Caballero piorou a situação platense aos oito minutos do segundo tempo. Ao tentar um passe de cavadinha, ele presenteou o grandalhão Rebic no primeiro gol croata. A posição de ‘portero’ é um drama histórico na Argentina, que desde Fillol (campeão do mundo em 1978) não tem um nome incontestável na posição.

    Com a derrota iminente, Messi tentou mais. Recorreu a suas habituais arrancadas, mas foi barrado em todas. Numa delas, irritou-se com Strinic. Nervos à flor da pele do camisa 10 do Barcelona contrastando com a tranquilidade com que o camisa 10 do Real Madrid, Modric, limpou a defesa alviceleste e fez o segundo gol, aos 35. Chute a gol de Messi, durante todo o jogo, apenas um, numa raríssima vez em que pisou na grande área.

    Sampaoli, o badalado estrategista contratado para salvar a Argentina de um vexame nas Eliminatórias, chegou à Rússia sem esquema tático definido. Foi de quatro defensores contra a Islândia para três contra a Croácia. Criou uma peneira, humilhada no terceiro gol, quando Rakitic escolheu o canto e deixou um saldo negativo pesadíssimo para o time de Messi decidir sua sobrevivência na terceira rodada.

  • Próximos jogos

    Na terça-feira, 26 de junho, a Argentina enfrenta a Nigéria, às 15h. No mesmo dia e horário, jogam Islândia e Croácia.

    Continua após a publicidade

    Ponto alto

    Rebic poderia dominar o ‘passe’ de Caballero antes de finalizar, mas arriscou um belo voleio e deu início à vitória croata regida por Modric.

    Ponto baixo

    Ao final da partida, Sampaoli foi rapidamente para os vestiários, igualmente Messi. Poucos companheiros se abraçaram. Não é só o futebol da seleção que está ruim. O clima, também.

    Ficha do jogo

    Argentina 0 x 3 Croácia
    Local: estádio de Níjni Novgorod. Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB). Público: 43.319. Gols: Rebic, aos 8, Modric, aos 35, Rakitic, aos 46 do segundo tempo.
    Argentina: Caballero; Mercado, Otamendi e Tagliafico; Mascherano, Pérez (Dybala), Salvio (Pávon) e Acuña; Messi, Agüero (Higuaín) e Meza. Jorge Sampaoli.
    Croácia: Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic; Brozovic e Rakitic; Rebic (Kramaric), Modric e Perisic (Kovacic); Mandzukic (Corluka). Técnico: Dalic Zlatko.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade