Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corinthians repudia agressões a torcedoras palmeirenses no metrô

Torcedores agrediram e expulsaram do vagão duas torcedores na última quarta-feira

O Corinthians repudiou nesta sexta-feira 28 a agressão a torcedoras do Palmeiras por membros da torcida corintiana que ocorreu no Metrô de São Paulo na última quarta-feira.

As duas torcedoras usavam a camisa do Palmeiras e estavam em um vagão da Linha Vermelha. O trem estava repleto de torcedores corintianos que ia para a Arena do clube, acompanhar um treino aberto.

Assim que o vídeo começou a circular, o Corinthians, por meio de sua conta oficial no Twitter, publicou uma nota de repúdio à agressão, aproveitando também para se desculpar com as torcedoras do Palmeiras em nome do clube do Parque São Jorge. “O Corinthians lamenta e repudia qualquer ato de violência, especialmente contra a mulher. O clube pede desculpas à torcedora palmeirense que foi covarde e lamentavelmente agredida no metrô”, diz.

Um dos vídeos mostra duas torcedoras do Palmeiras perto à porta do metrô encurraladas por um grupo, com a maioria dos componentes trajados de camisas e artigos do Corinthians. Em um primeiro momento, uma torcedora com a blusa do alvinegro tenta exigir que as duas “rivais” tirem a camisa do clube alviverde e tenta arrancar, à força, o boné de uma delas. Assim que começa o tumulto, é possível ouvir gritos de xingamentos às palmeirenses.

Em outro vídeo, publicado por uma página de torcedores do Palmeiras, é possível ver um torcedor com a camisa do Corinthians tentando chutar uma das mulheres na tentativa de expulsá-las quando o trem para na estação. Por fim, as duas palmeirenses deixam o vagão.

Uma das hashtags divulgadas para espalhar o vídeo foi a #RespeitaAsMina, utilizada pelo próprio Corinthians para promover uma campanha contra a violência às mulheres. O Metrô de São Paulo, por meio de uma nota, também se manifestou em repúdio e afirmou que os seguranças não foram procurados a fim de tentarem conter a confusão.

Até o momento, o Palmeiras não se manifestou sobre o ocorrido.