Clique e assine a partir de 9,90/mês

Copa feminina: os protestos da capitã dos EUA contra Trump

Atleta de 33 anos, ativista contra o preconceito, enfureceu o presidente americano ao não cantar o hino e dizer que não iria à "p.... da Casa Branca"

Por Da redação - Atualizado em 26 jun 2019, 17h56 - Publicado em 26 jun 2019, 12h58

Megan Rapinoe, capitã da seleção dos Estados Unidos na Copa do Mundo feminina de futebol, que é disputada na França, é uma voz importante na luta contra o preconceito e também uma habitual crítica de Donald Trump, com quem vem trocando farpas. O presidente americano criticou a atleta por não cantar o hino nacional antes das partidas do Mundial e por desdenhar de um eventual convite para visitar a Casa Branca, sede do governo federal americano, em Washington.

Rapinoe não cantou o hino ou colocou a mão no peito em nenhuma das partidas das americanas na Copa. É um protesto da jogadora contra Donald Trump, a federação de futebol de seu país, pela desigualdade entre homens e mulheres e em defesa da comunidade LGBTQ+. Antes, Rapinoe ajoelhava-se durante o hino americano. A federação impôs uma política que obriga todos a ficarem de pé durante a música, mas ela segue sem cantá-la.

Insatisfeito com a atitude da capitã americana, o presidente Donald Trump concedeu uma entrevista ao jornal americano The Hill, em que criticou as escolhas da jogadora. “Ela tem de vencer antes de falar”, disse Trump sobre os protestos de Rapinoe. “Megan não deveria nunca desrespeitar nosso país, a Casa Branca ou nossa bandeira, especialmente depois de tudo que foi feito por ela e pelo time. Seja orgulhosa da bandeira que defende. Os Estados Unidos estão indo muito bem”, disse o presidente.

Veja a tabela completa da Copa do Mundo feminina

As declarações de Trump vieram à tona depois que um vídeo de Rapinoe foi divulgado pela revista Eight by Eight. Perguntada se estaria empolgada em visitar a Casa Branca, Megan Rapinoe respondeu que “não iria à p…. de Casa Branca”. “Não irei à Casa Branca. Nós não vamos ser convidadas. Eu duvido”, completou a jogadora.

Continua após a publicidade

Em resposta à Rapinoe, Trump disse que convidaria o time americano de qualquer forma após a Copa do Mundo. “Nós não convidamos ainda Megan ou o time, mas agora vamos convidar. Ganhando ou perdendo”, disse Trump por meio de seu Twitter.

Os Estados Unidos disputam a fase quartas de final da Copa do Mundo contra a anfitriã França, nesta sexta-feira, 28, às 16 horas (de Brasília), em Paris.

Continua após a publicidade
Publicidade