Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Copa América: primeiro título da seleção brasileira completa 100 anos

Em 29 de maio de 1919, Brasil bateu o Uruguai com gol do ídolo nacional Friedenreich e levantou sua primeira taça internacional, nas Laranjeiras

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 29 Maio 2019, 12h22 - Publicado em 29 Maio 2019, 11h40

Há exatos 100 anos, no dia 29 de maio de 1919, o a seleção brasileira bateu a do Uruguai por 1 a 0 e conquistou o título do Sul-Americano, torneio que anos mais tarde passaria a se chamar Copa América. A partida no estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro (RJ), tornou-se um marco na história do futebol nacional. O governo decretou ponto facultativo nas repartições públicas, os bancos e as principais casas comerciais ficaram fechados. Pela primeira vez o futebol deixava de ser exclusivo da elite e virava a “alegria do povo”. Nascia ali a fascinação popular pela equipe que se tornaria a mais famosa do planeta.

O autor do gol da primeira conquista da seleção foi Arthur Friedenreich, filho de um alemão e uma negra. Para Mario Filho, um dos principais cronistas esportivos do país, autor de O Negro no Futebol Brasileiro, a conquista significou a “democratização do futebol brasileiro”. O gol foi de voleio e fez explodir o recém-inaugurado estádio do Fluminense, então principal palco do futebol nacional. Os torcedores nas arquibancadas e no alto dos morros que circundavam o palco da partida ainda não sabiam que aquela vitória sobre a seleção uruguaia seria o passo inicial para miscigenação do futebol nacional.

Tabela completa da Copa América 2019

Até então, todos os ídolos anteriores do futebol brasileiro foram brancos. O negro só tinha vez na seleção em caso de corte de um branco. O gol fez o país também receber o apelido de Nelson Rodrigues, irmão de Mario Filho, de “A Pátria de Chuteiras”.

  • Herói nacional

    Arthur Friedenreich
    Arthur Friedenreich Domínio Público/Reprodução

    Depois de seu gol na decisão, Friedenreich, que morreu em 1969, aos 77 anos, foi transformado em ídolo nacional. Ganhou o apelido de “El Tigre” por parte dos uruguaios e suas chuteiras foram expostas em uma loja na Rua do Ouvidor, no Rio, após aquela conquista.

    No futebol brasileiro, o excepcional goleador passou por dezoito clubes ao longo da carreira e levantou uma série de títulos. Fez do Paulistano o recordista de títulos estaduais entre 1917 e 1929 ao levantar seis troféus.

    Continua após a publicidade

    Seu estilo de jogo encantava os torcedores nos estádios. Pode-se se dizer que foi um revolucionário da bola, ao dar dribles mais curtos e chutar com efeito. Ele também se tornou o primeiro atleta a marcar sete gols em um único jogo na goleada do Paulistano por 9 a 0 sobre o União da Lapa, em 1928.

    Reportagem centenária – acervo do diário O Estado de S. Paulo dá um pouco da dimensão da importância daquele jogo de cem anos atrás. O relato da partida mostra uma narração como se fosse de rádio e um “scout” do que aconteceu minuto a minuto.

    Há lances engraçados, com muitos termos e grafias inspiradas no inglês, idioma dos inventores do jogo, como: “Milton inutiliza nova avançada por estar ‘off-side’. É a terceira vez em cinco minutos. A linha brasileira está atacando, auxiliada valiosamente pelos jogadores de linha média. Registra-se novo ‘off-side’ de Milton.”

    A narração do gol foi assim: “Os uruguayos avançam, mas são de novo repelidos. Neco avança, enquanto Heitor apanha a bola e escapa fazendo um belíssimo passe a Friedenreich, que ‘shoota’ marcando o primeiro ‘goal’ para o quadro nacional às 16 horas e 52 minutos.”

    A partir de 14 de junho, a seleção brasileira vai em busca de seu nono título da Copa América. E receber a competição foi historicamente fundamental para a equipe nacional erguer seus troféus. Tanto é que as quatro primeiras foram conquistadas em casa. Em 1919, 1922, 1949 e 1989, com o Brasil como sede, a força do torcedor fez a diferença e o time brasileiro foi campeão.

    O primeiro título fora de casa aconteceu na Copa América da Bolívia, em 1997. Dois anos mais tarde, a equipe brasileira de Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho, comandada por Vanderlei Luxemburgo, faturou o torneio disputado no Paraguai. Em 2004, o Brasil foi campeão no Peru e a conquista mais recente aconteceu em 2007, na Venezuela. O Uruguai é o maior campeão do torneio, com 15 troféus.

    Continua após a publicidade
    Publicidade