Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Conmebol nega pedido e River Plate não terá goleiros na Libertadores

Com 20 atletas contaminados por Covid-19, clube argentino terá de enfrentar o Santa Fe, na quarta, sem reservas e com jogador de linha improvisado na meta

Por Da Redação Atualizado em 18 Maio 2021, 21h27 - Publicado em 18 Maio 2021, 16h13

O River Plate, um dos clubes mais poderosos do continente, vive um momento dramático e insólito. Devido a um surto do novo coronavírus que atingiu a imensa maioria do elenco, o clube de Buenos Aires terá de enfrentar o Independiente Santa Fe, na próxima quarta-feira, 17, no Monumental de Núnez, sem nenhum reserva e, pior, com um jogador de linha improvisado como goleiro. Nesta terça-feira, 18, a Conmebol negou o pedido do River para inscrever dois novos goleiros.

Clique aqui e assine PLACAR com preço especial, a partir de 8,90 reais por mês!

O técnico Marcelo Gallardo tem apenas 12 dos 32 inscritos na Copa Libertadores fora da lista de contaminados e, portanto, aptos para entrar em campo. Para piorar, o zagueiro Pinola ainda se recupera de lesão; caso não consiga estar em campo, o River deve entrar em campo sem nenhum resreva. O meia Enzo Pérez, mesmo se recuperando de uma distensão sofrida no último domingo diante do rival Boca Juniors, deve ser o escolhido para atuar como goleiro, segundo informações do diário Olé.

O quatro goleiros Franco Armani, Enrique Bologna, Germán Lux e Franco Petroli, estão com Covid-19, o que levou o River a enviar uma pedido à Conmebol para que pudesse inscrever ao menos um novo goleiro, alegando que o caso é excepcional e que não ter um goleiro de origem disponível feriria o senso de esportividade.

No último domingo, com 15 desfalques, o River foi eliminado da Supercopa Argentina pelo rival Boca Juniors, nos pênaltis, após empate em 1 a 1. Um dos destaques da partida foi o jovem goleiro Alan Leonardo Díaz, de 21 anos, chamado às pressas.

Nesta segunda, o clube registrou mais cinco contaminações de atletas importantes: Leonardo Ponzio, Gonzalo Montiel, Lucas Beltrán, Alex Vigo e Flabian Londoño. Eles se juntam aos goleiros e aos defensores Paulo Díaz e Robert Rojas, os meias De La Cruz, Zuculini, Agustín Palavecino e Tomás Castro Ponce e os atacantes Borré, Matías Suárez, Benjamín Rollheiser, Santiago Simón e Federico Girotti.

  • Com isso, Gallardo tem apenas 11 jogadores de linha para montar o time na próxima quarta. São eles, Jonatan Maidana, Héctor Martínez, Fabrizio Angileri, Milton Casco, Jorge Carrascal, Agustín Fontana, Peña Biafore, Tomás Lecanda, José Paradela, Julián Alvarez, e Enzo Pérez. Segundo o Olé, caso Enzo Pérez não possa assumir a meta, as outras opções seriam Casco, Maidana e Lecanda.

    Em seu regulamento, a Conmebol abre a possibilidade de realizar uma troca de goleiros, caso seja confirmada uma lesão grave. A entidade, no entanto, não inlcluiu contaminação por Covid neste contexto, conforme explicou a PLACAR nesta terça o diretor de competições da entidade, Frederico Nantes. Levando em conta a pandemia, a Conmebol abriu, no início do torneio, a possibilidade de que os clubes inscrevessem até 50 atletas. O River, no entanto, optou por apenas 32.

    O regulamento estabelece ainda que, caso as equipes tenham até sete atletas disponíveis, as partidas devem ser realizadas. Caso contrário, será decretada a derrota por WO. Além de desfalcar o River diante do Santa Fe, os atletas contaminados correm risco de não enfrentarem o Fluminense, em jogo marcado para o próximo dia 25, pela última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Com 6 pontos em quatro partidas, o clube argentino é vice-líder no grupo D atrás do Fluminense (8 pontos) e à frente do Junior Barranquilla (3) e Santa Fe (2).

    Continua após a publicidade
    Publicidade