Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conmebol anuncia faturamento recorde e criação de fundo de reservas

Entidade, no entanto, não revelou se recursos serão aplicados no combate ao coronavírus

Por Alexandre Senechal - Atualizado em 2 abr 2020, 13h56 - Publicado em 2 abr 2020, 13h37

A Conmebol realizou seu 72º congresso anual na manhã desta quinta-feira 2. A reunião, que pela primeira vez na história foi realizada por videoconferência por causa do surto de coronavírus, contou com a participação de membros das dez federações dos países sul-americanos, a diretoria da entidade e com os presidentes das confederações da Europa, África, América Central e do Norte e do mandatário da Fifa, Gianni Infantino.

Em um vídeo publicado durante o encontro, a entidade anunciou um faturamento recorde de 509 milhões de dólares (2,68 bilhões de reais) e informou que criou um fundo de reservas de 27 milhões de dólares (142,1 milhões de reais) para eventuais necessidades para o ano de 2020. A entidade não definiu o destino da verba inédita e não informou quais serão as medidas para ajudar o mundo do futebol sul-americano em meio à pandemia.

El 72º Congreso Ordinario de la CONMEBOL

Bienvenidos a la edición número 72 del Congreso Ordinario de la CONMEBOL

Continua após a publicidade

Posted by CONMEBOL.com on Thursday, April 2, 2020

Após a aprovação da utilização do fundo de reservas por unanimidade pelos dez países membros, o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, afirmou que a saúde é a prioridade. “Com a casa em ordem e as finanças sólidas, podemos enfrentar essa pandemia com confiança”, disse. De concreto mesmo, a Conmebol anunciou, no final de março que irá antecipar as premiações para os clubes que participam da Libertadores e da Copa Sul-Americana.

O discurso está alinhado com o do presidente da Fifa. Infantino abriu a reunião na única participação que fez e afirmou, em espanhol, que a preocupação é em três frentes: buscar soluções para o calendário mundial; resolver a questão jurídica com clubes e jogadores sobre os vínculos contratuais de atletas que se encerram em 2020; e dar o apoio financeiro necessário para ajudar nas dificuldades de diminuição de receitas no futebol.

“A Fifa tem uma posição financeira sólida e um nome de credibilidade no mercado, o que não poderia ser dito há alguns anos. Trabalha pelo benefício do futebol, se põe em pé em tempos difíceis e afronta os problemas”, afirmou Infantino, também sem explicar quais são as medidas tomadas para combater estes problemas.

Todos os pontos discutidos no Congresso, como a aprovação de contas da Conmebol, os valores de ingressos praticados para 2020 e os membros que farão parte do Conselho da Fifa até abril do ano que vem (incluindo o brasileiro Fernando Sarney, filho do ex-presidente José Sarney) foram aprovados por unanimidade.

Continua após a publicidade
Publicidade