Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Confronto deixa três feridos antes do jogo do Palmeiras em Campinas

Time paulistano enfrentou o Red Bull, em partida que terminou em empate de 1 a 1; conflito de torcedores envolveu fãs da Ponte Preta

Por Estadão Conteúdo 20 jan 2019, 21h13

Mesmo com jogo de praticamente uma torcida só, houve briga em Campinas (SP) neste domingo. Um grupo de torcedores de Palmeiras e Ponte Preta entraram em confronto antes do jogo da equipe alviverde contra o Red Bull Brasil, pela primeira rodada do Campeonato Paulista, que terminou em empate de 1 a 1.

O Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (BAEP) precisou usar balas de borracha e bombas de efeito moral para dispersar a multidão nos arredores do estádio Moisés Lucarelli. Pelo menos três torcedores ficaram feridos e um deles precisou ser encaminhado para o hospital municipal Mário Gatti.

Ainda não há uma explicação oficial da polícia para o início da confusão, mas algumas imagens mostram claramente torcedores da Ponte Preta em conflito com palmeirenses em frente à fachada do estádio. A sede da Torcida Jovem, principal organizada do time de Campinas, fica bem em frente ao Moisés Lucarelli – perto de 50 metros do portão principal. De acordo com informações iniciais, um grupo de palmeirenses tentou invadir o local e iniciou a confusão.

No confronto, um torcedor do Palmeiras ficou ferido e chegou a ser carregado por companheiros para dentro do estádio. Ele foi atendido e encaminhado para o hospital. Na invasão, outro torcedor foi baleado na perna e um terceiro sofreu com pauladas na cabeça. Os dois deram entrada no Mário Gatti – os seus nomes não foram identificados. Outros dois torcedores, que seriam ligados à Ponte Preta, foram encaminhados a uma delegacia.

Por determinação do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), nem Ponte Preta nem Guarani podem receber em Campinas torcida

visitante contra os clubes grandes – São Paulo, Corinthians, Santos e Palmeiras. Segue o mesmo padrão dos clássicos com torcida única em São Paulo. Só que o Red Bull Brasil, que treina em Jarinu (SP) e joga em Campinas, não entrou nessa regra. O clube empresa tem pouca tradição nas arquibancadas e depende dos rivais para arrecadar bilheteria. Até criou um setor misto no Moisés Lucarelli, porém restrito, e não houve registro de nenhum confronto.

Continua após a publicidade
Publicidade