Clique e assine a partir de 9,90/mês

Começa hoje: o caminho dos clubes brasileiros na Libertadores 2019

Atlético Mineiro e São Paulo disputam etapa preliminar, enquanto outros seis clubes nacionais já estão garantidos na fase de grupos

Por Da redação - 5 fev 2019, 11h09

A Copa Libertadores começa para dois clubes brasileiros nesta semana: o Atlético-MG, nesta terça-feira, 5, e o São Paulo na quarta, 6, enfrentam, respectivamente, Danubio e Talleres pela segunda fase preliminar do torneio. Os clubes nacionais terão de passar por duas fases de mata-mata para se unirem a outras seis equipes brasileiras, já classificadas para a fase de grupos.

Athletico-PR, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Internacional e Palmeiras estreiam no torneio apenas em março, mas já conhecem a maioria de seus adversários na competição.

Veja a tabela completa da Copa Libertadores

Confira abaixo um guia dos times brasileiros que disputam esta edição continental:

Réver foi um dos reforços do Atlético Mineiro em 2019 Bruno Cantini/Atlético/Flickr

Atlético-MG

Sexto colocado no Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG trouxe de volta o zagueiro Réver, campeão da Copa Libertadores em 2013 para tentar reconquistar a competição, que disputa pela décima vez, sendo seis delas nos últimos sete anos. O time começa a competição na segunda fase preliminar. Caso chegue à fase de grupos, enfrenta Cerro Porteño, Nacional (Uruguai) e Zamora.

Participações: 10
Melhor resultado: campeão (2013)

Adversários

Danubio-URU (da segunda fase preliminar)

Foi o terceiro colocado na tabela geral do Campeonato Uruguaio. Tem um elenco pouco conhecido e pouca tradição na disputa da Copa Libertadores. Não deverá complicar para o Atlético.

Histórico contra o Danubio: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais

Barcelona ou Defensor (da terceira fase preliminar, caso passe pelo Danubio)

O Barcelona de Guayaquil foi o segundo colocado na tabela agregada no Campeonato Equatoriano, mas não conseguiu vaga na fase de grupos por não conquistar um título. Um dos destaques do time é o goleiro Máximo Banguera, semifinalista da Libertadores em 2017 com a equipe. O outro possível adversário é o Defensor, também do Uruguai, que fez a quarta melhor campanha geral no Campeonato Nacional. O time não tem grandes destaques individuais.

Histórico contra o Barcelona: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o Defensor: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais


Hernanes foi um dos principais reforços do São Paulo para 2019 Paulo Pinto/saopaulofc.net/Divulgação

São Paulo

Quinto colocado no Campeonato Brasileiro, o São Paulo se reforçou para a disputa da Libertadores. Trouxe o ídolo Hernanes e o atacante Pablo, destaque do Athletico-PR, que era disputado por diversos clubes. Começa a competição na segunda fase preliminar. Caso chegue à fase de grupos, enfrentará Alianza Lima, Internacional e o atual campeão River Plate.

Participações: 19
Melhor resultado: campeão (1992, 1993 e 2005)

Adversários

Talleres-ARG (da segunda fase preliminar)

Quinto colocado no Campeonato Argentino, o Talleres é campeão da Copa Conmebol de 1999 e disputa pela segunda vez a Copa Libertadores. O destaque do clube é o volante Pablo Guiñazú, ex-jogador do Inter.

Histórico contra o Talleres: 2 jogos, 0 vitória, 2 empates, 0 derrota, 0 gol pró, 0 gol contra (nenhum confronto pela Libertadores)

Independiente Medellín ou Palestino (da terceira fase preliminar, caso passe pelo Talleres)

Continua após a publicidade

O Independiente de Medellín foi o melhor colombiano em tabela agregada do Campeonato Colombiano, mas não conquistou o título, que daria vaga à equipe na fase de grupos. Um dos destaques do time é o atacante e artilheiro argentino Germán Cano. Campeão da Copa Chile em 2018, o Palestino tem um elenco mais modesto entre os possíveis rivais do São Paulo nesta fase.

Histórico contra o Independiente Medellín: 2 jogos, 0 vitória, 1 empate, 1 derrota, 2 gols pró, 3 gols contra (ambos confrontos pela Libertadores)
Histórico contra o Palestino: 2 jogos, 1 vitória, 0 empate, 1 derrota, 2 gols pró, 2 gols contra (ambos confrontos pela Libertadores)


O Athletico-PR conquistou a Copa Sul-Americana em 2018. Paulo Whitaker/Reuters

Athletico-PR

Campeão da Copa Sul-Americana em 2018, foi o último clube a se classificar para a Libertadores. Perdeu o artilheiro Pablo, mas trouxe a dupla Robson Bambu e Léo Cittadini, do Santos. Contratou também os argentinos Tomás Andrade e Marco Rúben para reforçar e dar mais experiência ao time, que ainda tem Lucho González no elenco. Vem disputando o Campeonato Paranaense com um time misto e deve chegar forte para jogar a Libertadores. Está no grupo G.

Participações: 6
Melhor resultado: vice-campeão (2005)

Adversários

Boca Juniors (Argentina)

Campeão argentino e vice-campeão da Libertadores, o Boca deve ser o adversário mais duro do Athletico nesta fase. Perdeu jogadores importantes, como os meias colombianos Barrios e Cardona, além do técnico Guillhermo Barros Schelotto, mas contratou o zagueiro Lisandro López e manteve as principais estrelas: os atacantes Benedetto, Pavón e Tevez.

Histórico contra o Boca Juniors: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais

Deportes Tolima (Colômbia)

Famoso no Brasil por ter eliminado o Corinthians em 2011, o Tolima foi campeão do torneio apertura do Campeonato Colombiano, no começo de 2018. O principal destaque do time é o atacante Marco Pérez, de 28 anos. O time ainda tem no elenco o goleiro Álvaro Montero, jogador revelado pelo São Caetano.

Histórico contra o Deportes Tolima: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais

Jorge Wilstermann (Bolívia)

Deve ser o adversário mais fácil para o Athletico nessa fase do torneio, mas joga na altitude de Cochabamba. Foi campeão do Torneio Apertura do Campeonato Boliviano, no primeiro semestre de 2018. Tem três brasileiros no elenco: o atacante Serginho, o atacante Lucas Gaúcho, revelado no São Paulo, e o zagueiro Alex Silva, com passagens na seleção brasileira, que é capitão da equipe. Essa será a terceira Copa Libertadores seguida do zagueiro pelo time boliviano.

Histórico contra o Jorge Wilstermann: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais


O meia Thiago Neves foi um dos destaques do campeão da Copa do Brasil em 2018 e renovou contrato Heitor Feitosa/VEJA.com

Cruzeiro

Campeão da Copa do Brasil em 2018, o clube mineiro renovou o contrato com Thiago Neves e trouxe o meia Rodriguinho, ex-Corinthians e seleção brasileira, principal contratação da equipe, que ainda manteve o zagueiro Dedé no elenco. A grande baixa foi a saída do meia Arrascaeta para o Flamengo. O Cruzeiro ainda perdeu os atacante Hernán Barcos e Rafael Sóbis para adversários que jogarão a Libertadores (Atlético Nacional e Internacional, respectivamente), mas manteve o centroavante Fred. Está no Grupo B do torneio.

Participações: 17
Melhor resultado: Campeão (1976 e 1997)

Adversários

Deportivo Lara (Venezuela)

Vice-campeão venezuelano, deve ser o adversário mais fraco do grupo cruzeirense. Jesús Hernández, atacante de 26 anos que jogava no Belenenses, de Portugal, é um dos estaques.

Continua após a publicidade

Histórico contra o Deportivo Lara: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais

Emelec (Equador)

Vice-campeão equatoriano, o time tem tradição em participar da Copa Libertadores. O Emelec conta com o equatoriano Bryan Cabezas, de 21 anos, com passagem pela seleção equatoriana e futebol europeu, e que em 2018 jogou pelo Fluminense.

Histórico contra o Emelec: 2 jogos, 1 vitória, 1 empate, 0 derrota, 2 gols pró, 0 gol contra (ambos confrontos pela Libertadores)

Huracán (Argentina)

O Huracán foi quarto colocado no Campeonato Argentino e disputou a Libertadores em duas edições recentes: 2015 e 2016. Os destaques do time são dois jogadores da seleção do Paraguai: o goleiro Antony Silva e o atacante Lucas Barrios, argentino naturalizado, que jogou por Palmeiras e Grêmio em temporadas recentes, conquistando títulos pelos dois clubes.

Histórico do Cruzeiro (Huracán): 2 jogos, 0 vitória, 1 empate, 1 derrota, 1 gol pró, 3 gols contra (ambos confrontos pela Libertadores)


O atacante Gabigol foi um dos reforços flamenguistas para 2019. Alexandre Vidal/Flamengo/Divulgação

Flamengo

Vice-campeão brasileiro em 2018, o Flamengo foi uma das equipes que mais se reforçaram para a temporada. Trouxe o zagueiro Rodrigo Caio, o meia De Arrascaeta e os atacantes Gabriel Barbosa e Bruno Henrique. O time manteve ainda jogadores importantes, como o goleiro Diego Alves e os meias Diego Ribas e Éverton Ribeiro. Com elenco estrelado, o time espera melhorar o desempenho nas últimas Copa Libertadores. O Flamengo não chega às quartas de final desde 2010. Desde então, foram seis torneios caindo na primeira fase ou no máximo chegando às oitavas de final. Está no Grupo D do torneio.

Participações: 15
Melhor resultado: Campeão (1981)

Adversários

LDU Quito (Equador)

O atual campeão equatoriano tem experiência no torneio e o elenco mais forte do futebol equatoriano. Dois jogadores do time vieram do Rio de Janeiro, de rivais do Flamengo: o meia Orejuela, ex-Fluminense, e o atacante Rodrigo Aguirre, ex-Botafogo. O atacante Juan Anangonó, artilheiro da equipe no último Campeonato Equatoriano, é a arma principal.

Histórico contra a LDU Quito: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais

Peñarol (Uruguai)

Campeão uruguaio e um dos mais tradicionais clubes do continente, o Peñarol tem um elenco formado na maioria por jogadores uruguaios, com alguns argentinos no banco de reservas. O atacante Gabriel Fernández de 24 anos é um dos destaques do time. Ele foi artilheiro do Torneio Clausura do Campeonato Uruguaio. Cristian “Cebolla” Rodríguez, de 33 anos, com passagens pela seleção uruguaia, futebol europeu e Grêmio, voltou ao clube em 2017, 12 anos depois de sua saída para a Europa, para dar experiência ao time que buscará o hexacampeonato.

Histórico contra o Peñarol: 4 jogos, 1 vitória, 0 empate, 3 derrotas, 5 gols pró, 5 gols contra (pela Libertadores são dois jogos, com duas vitórias do Peñarol por 1 a 0)

Continua após a publicidade

San José (Bolívia)

Campeão do Torneio Clausura do Campeonato Boliviano, o San José tem em seu favor a altitude da cidade de Oruro, que está a 3.735 metros do nível do mar. O atacante colombiano Jair Reinoso, artilheiro do último Campeonato Boliviano com 20 gols, deixou o clube para defender o The Strongest neste ano, deixando o atacante argentino Javier Sanguinetti como principal esperança de gols. O brasileiro Marcelo Gomes, meia de 37 anos que iniciou sua carreira no Boncuesso e fez sucesso no futebol boliviano, também faz parte do elenco.

Histórico contra o San José: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais


O atacante Luan, segue no Grêmio Rodrigo Ziebell/FramePhoto/Folhapress

Grêmio

Quarto colocado no Campeonato Brasileiro e semifinalista da Libertadores de 2018, o Grêmio manteve a maioria de seus jogadores de destaque, como Luan e Éverton, e ainda trouxe o centroavante Felipe Vizeu, ex-Flamengo, que estava na Udinese, da Itália. Campeão em 2017, o treinador Renato Gaúcho segue no comando. Está no Grupo H do torneio.

Participações: 19
Melhor resultado: Campeão (1983, 1995 e 2017)

Adversários

Rosário Central (Argentina)

Campeão da Copa Argentina de 2018, o clube tem dois jogadores conhecidos do futebol brasileiro: o meia Agustín Allione, ex-Palmeiras e Bahia, e o atacante Germán Herrera, ex-Corinthians, Grêmio, Botafogo e Vasco. Treinado por Edgardo Bauza, ex-seleção da Argentina e São Paulo, o clube conquistou a Copa Argentina em 2018, primeiro título de primeira divisão do clube desde o Campeonato Argentino em 1987.

Histórico contra o Rosário Central: 2 jogos, 0 vitória, 0 empate, 2 derrotas, 0 gol pró, 4 gols contra (ambos jogos pela Copa Libertadores)

Universidad Católica (Chile)

Campeão chileno em 2018, o clube tem entre seus destaques o meia argentino Diego Buonanotte, revelado pelo River Plate e com passagens no futebol europeu, e o atacante chileno José Fuenzalida, com passagens pela seleção de seu país. O clube disputa sua 26ª Copa Libertadores e tenta superar o vice-campeonato de 1993.

Histórico contra a Universidad Católica: 4 jogos, 1 vitória, 1 empate, 2 derrotas, 7 gols pró, 5 gols contra (dois jogos pela Libertadores, ambos vencidos pela Universidad Católica: 2 a 1 em Porto Alegre e 1 a 0 no Chile)

Vencedor 3

Atlético Nacional (Colômbia), Deportivo La Guaira (Venezuela), Libertad (Paraguai) ou The Strongest (Bolívia)

Histórico contra o Atlético Nacional: 6 jogos, 3 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 12 gols pró, 7 gols contra (quatro jogos pela Libertadores, incluindo a decisão de 1995: 3 vitórias do Grêmio e um empate, 9 gols pró, 2 gols contra)
Histórico contra o Deportivo La Guaira: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o Libertad: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o The Strongest: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais


O atacante Rafael Sóbis é um dos reforços do Internacional para 2019. @SCInternacional/Twitter

Internacional

Terceiro colocado no Campeonato Brasileiro um ano após disputar a segunda divisão, o Inter voltou forte para buscar o tricampeonato da Libertadores. Perdeu o artilheiro Leandro Damião, mas trouxe de volta o ídolo Rafael Sóbis, campeão da América pelo clube em 2006 e 2010. Outro jogador que deve disputar o torneio é o centroavante peruano Paolo Guerrero, que chegou do Flamengo ano passado e ainda cumpre suspensão por doping. O time iniciou o ano com tropeços no Estadual, mas prepara-se forte para a disputa do torneio sul-americano. Está no Grupo A do torneio, considerado o mais difícil do torneio.

Participações: 12
Melhor resultado: Campeão (2006 e 2010)

Adversários

Alianza Lima (Peru)

Continua após a publicidade

Vice-campeão peruano, o Alianza Lima foi massacrado pelo Sporting Cristal na decisão do Campeonato Peruano, com um resultado de 7 a 1 contra no agregado. A maioria do elenco é formado por peruanos, com alguns uruguaios e argentinos complementando da equipe. Um dos destaques do time é o experiente goleiro Leao Butrón, de 41 anos, com passagem pela seleção peruana.

Histórico contra o Alianza Lima: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais

River Plate (Argentina)

Atual campeão da Copa Libertadores, o River Plate perdeu o atacante Pity Martínez para o futebol dos Estados Unidos, após ser um dos grandes destaques da conquista em 2018. O restante do elenco foi mantido. O meia colombiano Juan Quintero e o atacante Ignacio Scocco são alguns destaques do ainda forte time do River Plate

Histórico contra o River Plate: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais

Vencedor 4

Independiente Medellín (Colômbia), Palestino (Chile), São Paulo ou Talleres (Argentina)

Histórico dcontra o Independiente Medellín): Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o Palestino: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o São Paulo: 6 jogos, 3 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 9 gols pró, 7 gols contra em competições sul-americanas oficiais (quatro jogos pela Libertadores, incluindo a decisão de 2006: 2 vitórias do Grêmio, um empate e uma derrota, 6 gols pró, 5 gols contra)
Histórico contra o Talleres: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais


Dudu ainda é um dos destaques do Palmeiras em 2019 Miguel Schincariol/Getty Images

Palmeiras

Campeão brasileiro, o Palmeiras manteve o elenco e ainda se reforçou com as chagadas de destaques do Campeonato Brasileiro (Arthur, do Ceará e Zé Rafael, do Bahia) e jogadores de frente, como Felipe Pires, ex-Hoffenheim, Carlos Eduardo, ex-Pyramids e Ricardo Goulart, ex-Guangzhou Evergrande. A Libertadores é a principal meta do clube e do treinador Luiz Felipe Scolari em 2019. Está no Grupo F do torneio.

Participações: 19
Melhor resultado: Campeão (1999)

Adversários

Junior Barranquilla (Colômbia)

Campeão do torneio Finalización do Campeonato Colombiano e vice-campeão da Copa Sul-Americana em 2018, o clube esteve na chave do Palmeiras na Libertadores do ano passado e foi eliminado ainda na fase de grupos. O atacante Teófilo Gutiérrez, com passagem pela seleção colombiana, é o principal destaque do time. O camisa 10 e meia Luis Díaz, de 22 anos, é outro candidato a protagonista.

Histórico contra o Junior Barranquilla: 2 jogos, 2 vitórias, 0 empate, 0 derrota, 6 gols pró, 1 gol contra (ambos jogos pela Copa Libertadores)

San Lorenzo (Argentina)

Terceiro colocado no Campeonato Argentino, o tradicional clube, campeão da Libertadores em 2014 chega com uma equipe experiente para a disputa da Copa Libertadores. O meia Fernando Belluschi, com passagens pelo futebol europeu e seleção da argentina, e o atacante argentino Rubén Botta, ex-Inter de Milão, são alguns dos destaques do time, que ainda tem o experiente zagueiro Fabricio Coloccini, de 37 anos, ex-seleção argentina e futebol europeu, em seu elenco

Histórico contra o San Lorenzo: 2 jogos, 1 vitória, 0 empate, 1 derrota, 3 gols pró, 1 gol contra (jogos válidos pela semifinal da Copa Mercosul de 1999)

Continua após a publicidade

Vencedor 2

Caracas (Venezuela), Delfín (Equador), Melgar (Peru) ou Universidad de Chile (Chile)

Histórico contra o Caracas: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o Delfín: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o Melgar: Nunca se enfrentaram em jogos oficiais
Histórico contra o Universidad de Chile: 6 jogos, 5 vitórias, 0 empate, 1 derrota, 12 gols pró, 5 gols contra (pela Libertadores, 2 jogos, 2 vitórias do Palmeiras, com quatro gols pró e dois gols contra)

Publicidade