Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Com reforços de peso, PSG segue sonhando alto na Europa

Clube francês confirmou a chegada do goleiro italiano Donnarumma, eleito melhor jogador da Euro; orçamento para contratações prevê R$ 1,4 bilhão

Por Da Redação Atualizado em 14 jul 2021, 17h04 - Publicado em 14 jul 2021, 16h18

Enquanto a maioria dos clubes da Europa ainda sofre com os efeitos causados pela pandemia, o Paris Saint-Germain, há anos impulsionado por um fundo de investimentos Catar, mas ainda buscando seu primeiro título de Liga dos Campeões, vem se mostrando imune a crises. O clube francês confirmou nesta quarta-feira, 14, a contratação do goleiro italiano Gianluigi Donnarumma, 22 anos, eleito o melhor jogador da última edição da Eurocopa.

Ele estava livre no mercado devido ao fim de seu contrato com o Milan e encorpa ainda mais o já reforçado elenco, apelidado recentemente de “novos galácticos” por parte da imprensa europeia em comparação com o Real Madrid do início deste século. Na ocasião, a equipe espanhola contava com nomes como Zinedine Zidane, Luis Figo, Ronaldo, David Beckham e outros.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

Continua após a publicidade

Além do goleiro, italiano, que brigará por posição com o costa-riquenho Keylor Navas, o clube parisiense já apresentou outros nomes de peso como o meio-campista holandês Giorgino Wijnaldum, ex-Liverpool, e o veterano zagueiro espanhol Sergio Ramos, multicampeão pelo Real Madrid, além do lateral direito marroquino Achraf Hakimi, da Inter de Milão. Wijnaldum e Ramos também vieram em situações semelhantes, após fim de contrato com suas equipes, mas tem salários altíssimos, com os quais poucos clubes do continente seriam capaz de arcar.

Sérgio Ramos utilizará a camisa 4, mesmo número em que fez história no Real Madrid -
Sérgio Ramos utilizará a camisa 4, mesmo número em que fez história no Real Madrid – Paris Saint-Germain/Divulgação

Hakimi foi, até aqui, o principal investimento do PSG em contratação. Para trazê-lo, o clube investiu cerca de 70 milhões de euros (415 milhões de reais). O principal nome especulado, no entanto, é o do atacante argentino Lionel Messi, campeão e destaque da última Copa América com a seleção de seu país, e que deixou, oficialmente, de ser jogador do Barcelona após 21 anos no clube.

O clube catalão ainda mantém otimismo sobre a renovação, mas, até o momento, não há acordo anunciado. Além do Paris Saint-Germain, Manchester City, dirigido pelo técnico espanhol Pep Guardiola, e até o Inter Miami, dos EUA, apareceram como principais candidatos a tirar o craque do Camp Nou.

Ainda sem acordo com o Barcelona, Messi está sem clube -
Ainda sem acordo com o Barcelona, Messi está sem clube – David Ramos/Getty Images

De acordo com as últimas informações da imprensa catalã, dos jornais Sport e L’Esportiviu já há indicativos de que Messi e Barcelona chegaram a um acordo para uma renovação por cinco temporadas. O jogador teria aceitado uma redução de 50% dos valores que recebia no último vínculo, convencido pelo presidente Joan Laporta, com quem possui bom relacionamento.

Mesmo assim, o PSG deve sair em busca de mais nomes de peso no mercado. O Le Parisien informou que o orçamento proposto pelo clube à DNCG (Direção Nacional de Controle e Gestão), que é vinculada a gestão do Campeonato Francês, é de 250 milhões de euros (1,4 bilhão de reais).

Os parisienses ainda cogitam uma investida em Cristiano Ronaldo, da Juventus, além de Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, último melhor jogador do mundo eleito pela Fifa. Outros nomes também são cotados como o do espanhol César Azpilicueta, do Chelsea, Theo Hernández, do Milan, o do zagueiro alemão Antonio Rudiger, também do Chelsea, e do lateral esquerdo francês Benjamin Mendy, do Manchester City.

Ronaldo ainda não tem permanência assegurada na Juventus -
Ronaldo ainda não tem permanência assegurada na Juventus – Marco Bertorello/AFP

O maior trunfo de Khelaifi, até aqui, foi ter assegurado a permanência de Neymar, que assinou renovação contratual até junho de 2025. O dirigente agora tenta convencer Kylian Mbappé, com contrato até a metade de 2022.

Continua após a publicidade
Publicidade