Clique e assine com até 92% de desconto

Com drama, Palmeiras cura trauma contra o Corinthians e é campeão

Time levou empate nos acréscimos, mas venceu o rival nos pênaltis e encerrou jejum de 12 anos no Paulistão

Por Da Redação Atualizado em 8 ago 2020, 22h54 - Publicado em 8 ago 2020, 18h46

O Palmeiras conquistou um título estadual histórico, por diversos motivos. O primeiro trágico: foi o primeiro Campeonato Paulista decidido sem presença de público, cumprindo o protocolo de segurança para conter a pandemia de coronavírus, cujo número de vítimas chegou a 100 000 justamente neste sábado 8. Depois, pois valeu ao clube alviverde o fim de um jejum de 12 anos sem conquistar o Paulistão, além de por fim a uma traumática sequência de derrotas diante do rival Corinthians.

O título veio com doses fortes de drama. Luiz Adriano marcou o gol do Palmeiras, de cabeça, no início do segundo tempo, mas Jô, nos acréscimos, empatou o jogo. Nas penalidades, o goleiro Weverton brilhou e garantiu a conquista alviverde, muito comemorada pelos atletas em campo.

Apesar da ausência de torcedores, a arena palmeirense estava devidamente decorada com bandeiras por todas as arquibancadas. O vestiário do Corinthians também foi colorido de verde, para evitar o que ocorreu em 2018, quando o visitante “envelopou” o local em preto e branco e lá celebrou o título na casa do rival. O foguetório e as canções palmeirenses no alto-falante também alimentaram o clima de rivalidade e, sobretudo, tentavam amenizar o estranhamento de uma finalíssima sem torcida. Antes do jogo começar, as vítimas da Covid-19 foram lembradas em um simbólico minuto de silêncio.

O protagonista da partida estava no banco de reservas: Vanderlei Luxemburgo, de 68 anos, comandante do Palmeiras em seus últimos quatro títulos estaduais (1993, 1994, 1996 e 2008), queria repetir o feito e bater o recorde de nove troféus do Paulistão, superando Lula, histórico treinador do Santos de Pelé. Já o Corinthians do jovem técnico Tiago Nunes, entrou menos pressionado, mas motivado a igualar a marca do Club Athletico Paulistano, único time a faturar quatro Paulistas seguidos, entre 1916 e 1919.

  • Depois do empate em 0 a 0, em um jogo ruim na Arena Corinthians, o jogo de volta foi mais movimentado. Na primeira etapa, o goleiro alvinegro Cássio fez bela defesa em chute de Willian. O Corinthians chegou a ter um gol bem anulado de Jô, e, nos acréscimos, teve nova chance clara em chute da entrada da área de Mateus Vital, por cima do gol.

    Os técnicos mexeram nos times na segunda etapa: entraram Bruno Henrique e Rony no Palmeiras e Everaldo no Corinthians. E logo nos minutos iniciais, o time mandante saiu na frente com o atacante Luiz Adriano, que subiu bem após cruzamento de Matías Viña, e, de cabeça, venceu Cássio. A partir daí, o Palmeiras recuou e o Corinthians criou pouco. No entanto, aos 50 minutos, Jô sofreu pênalti de Gustavo Gómez, para desespero dos atletas palmeirenses.

    Naturalmente, veio à memória o roteiro da final de 2018, vencida nos pênaltis pelo Corinthians em uma controversa final marcada por um pênalti em Dudu, assinalado e depois anulado pela arbitragem. No entanto, desta vez o goleiro Weverton defendeu as cobranças de Michel Macedo e Cantillo. Bruno Henrique também parou em Cássio, mas o jovem Patrick de Paula marcou o gol do triunfo alviverde.

    Jogadores do Palmeiras no momento da confirmação do título
    Jogadores do Palmeiras no momento da confirmação do título Alexandre Battibugli/Placar

    Assine DAZN | 30 dias grátis para curtir os maiores craques do futebol mundial ao vivo e quando quiser!

    Continua após a publicidade
    Publicidade