Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Clayson se desculpa por esguichar água em torcedores da Chapecoense

Jogador corintiano se irritou com xingamentos após ser substituído e revidou com um jato d'água. Time paulista sofreu a virada em Santa Catarina

Por Da Redação Atualizado em 12 ago 2018, 21h53 - Publicado em 12 ago 2018, 21h26

Mais calmo algum tempo após a partida contra a Chapecoense, que derrotou o Corinthians por 2 a 1 neste domingo, o atacante Clayson se desculpou publicamente com os torcedores adversários presentes na Arena Condá. O jogador havia perdido a paciência quando foi substituído pelo jovem Pedrinho no segundo tempo da partida, mas não com o técnico Osmar Loss. Insultado pelo público, reagiu com um esguicho de água.

  • “Eles acabaram me xingando ali, mas isso não justifica o que fiz. Errei. Peço desculpas pelo ato. Estava saindo de cabeça quente. Fui xingado, mas uma coisa não justifica a outra”, comentou Clayson, sereno. Assista ao lance abaixo:

    Quando Clayson deixou o campo, o Corinthians havia acabado de sofrer o gol de empate, marcado pelo estreante argentino Diego Torres, em uma cobrança de falta. Nos acréscimos, o time paulista ainda sofreu a virada, por meio de Doffo. O meia Marquinhos Gabriel foi quem abriu o placar, no primeiro tempo.

    O Corinthians voltará à Arena Condá já na quarta-feira, para enfrentar a mesma Chapecoense, agora pelas quartas de final da Copa do Brasil.

    O jogo – O Corinthians não demorou a abrir o placar na Arena Condá. Logo aos cinco minutos, o time visitante apareceu bem na ponta esquerda com Clayson, que fez o cruzamento para a área. Lá dentro, Roger cabeceou em cima do goleiro Jandrei, e Marquinhos Gabriel apareceu para aproveitar o rebote.

    O gol deu tranquilidade ao Corinthians, que, bem organizado em campo, passou a jogar sem pressa. Era o oposto da Chapecoense. O time recém-assumido por Guto Ferreira até tentou dar uma resposta rápida ao adversário, porém esbarrou no seu setor ofensivo pouco criativo ou envolvente.

    Quando queria acelerar o jogo, o Corinthians conseguia incomodar. Atuando mais recuado, Araos voltou a mostrar que foi uma contratação acertada, ditando o ritmo do meio-campo. Mais à frente, Mateus Vital e Clayson se movimentavam bem e acompanhavam o chileno. Ao contrário de Roger.

    Continua após a publicidade

    Aos 33 minutos, Mateus Vital carregou a bola desde o meio-campo até a área da Chapecoense, pela ponta esquerda, clareou e finalizou colocado. Acertou o travessão. Na sobra, Roger mandou a bola para longe, em um dos lances em que destoou negativamente dos seus colegas de ataque.

    Na esperança de mudar o panorama da partida, Guto Ferreira mexeu na Chapecoense no intervalo. Trocou Victor Andrade por Bruno Silva e viu a sua equipe mudar também de postura, adiantando a marcação e tornando-se mais agressiva. O Corinthians ficou acuado, com grandes dificuldades para cruzar o meio de campo.

    Aos 22 minutos, já com Doffo no lugar de Yann Rolim, a Chapecoense teve uma grande oportunidade para empatar. Cássio foi enganado pelo quique da bola ao deixar o gol e só não se complicou porque fez uma defesa fora da área. Acabou punido com o cartão amarelo, para revolta do time da casa, que queria a expulsão do goleiro corintiano.

    O protesto foi esquecido rapidamente. Afinal, o estreante Diego Torres aproveitou que Marllon ficou estático na barreira do Corinthians e mandou a bola para a rede na cobrança colocada, para preocupação de Osmar Loss. De imediato, o técnico sacou Clayson (que, ao sair, irritou-se com a provocação de uma torcedora e rebateu com um esguicho de água) e mandou Pedrinho a campo.

    A Chapecoense teve outra alteração, a sua última, com Canteros no posto de Diego Torres. Guto Ferreira quase se arrependeu, já que Douglas se machucou em seguida e correu o risco de deixar o campo. No Corinthians, retiraram-se realmente Marquinhos Gabriel, substituído por Ralf, e Roger, por Emerson Sheik.

    As apostas de Loss não surtiram efeito. Muito distante daquele time que havia sido no primeiro tempo, o Corinthians não tinha forças para chegar à vitória. E ainda levou a virada. Aos 49 minutos, a Chapecoense encaixou um contra-ataque e foi premiada pelo gol de Doffo, ficando com a sobra de bola oferecida por Cássio após chute cruzado de Márcio Araújo.

    FICHA TÉCNICA: CHAPECOENSE 2 X 1 CORINTHIANS

    Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
    Data: 12 de agosto de 2018, domingo
    Horário: 16 horas (de Brasília)
    Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
    Assistentes: João Luiz Coelho (RJ) e Thiago Henrique Farinha (RJ)
    Público: 10.070 pessoas
    Renda: R$ 324.005,00
    Cartões amarelos: Leandro Pereira (Chapecoense); Cássio, Marquinhos Gabriel (Corinthians)
    Cartão vermelho: Barreto (reserva da Chapecoense)
    Gols: Diego Torres, aos 24, e Doffo, aos 49 minutos do segundo tempo (Chapecoense); Marquinhos Gabriel, aos 5 minutos do primeiro tempo (Corinthians)

    CHAPECOENSE: Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Amaral, Victor Andrade (Bruno Silva), Yann Rolim (Doffo) e Diego Torres (Canteros); Leandro Pereira. Técnico: Guto Ferreira

    CORINTHIANS: Cássio; Mantuan, Léo Santos, Marllon e Carlos Augusto; Gabriel, Araos, Marquinhos Gabriel (Ralf), Mateus Vital e Clayson (Pedrinho); Roger (Emerson Sheik). Técnico: Osmar Loss

    (com Gazeta Press)

    Continua após a publicidade
    Publicidade