Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Cinco anos depois, seleção de vôlei pode herdar ouro olímpico

Derrota para a Rússia, em 2012, envolve um doping

Por Redação PLACAR Atualizado em 20 fev 2017, 11h05 - Publicado em 23 jan 2017, 11h21

Foi uma derrota traumática. Após abrir 2 x 0 na final, a Rússia tirou forças de todos os lugares para vencer o Brasil por 3 x 2 e ficar com o ouro olímpico nos Jogos de Londres, 2012. Contudo, essa história pode mudar.

Com Giba na linha de frente, o Brasil vai pedir para que a medalha de ouro fique com o time sul-americano por conta de doping dos jogadores russos. Fazendo parte da comissão de atletas da FIVB (Federação Internacional de Voleibol), Giba vai pedir revisão do resultado após a descoberta de que sete jogadores da equipe estavam dopados durante o torneio.

“Sete jogadores. Estamos lutando bastante, e essa semana vou à sede da FIVB, na Suíça, para saber o processo para pedir a medalha, qual o procedimento correto”, afirmou Giba no programa Esporte Espetacular, da Rede Globo.

Em suas redes sociais, Giba voltou a afirmar que buscará a revisão do resultado na sede da Federação. “Esta semana estou indo para a Suíça, na sede da Federação Internacional de Vôlei, para sentar com os departamentos de doping e jurídico para entender e ratificar os supostos problemas com doping dos russos em 2012 e trazer as respostas para o COB, então, analisar e dar entrada no pedido de punição e revisão das medalhas de Londres”, escreveu Giba.

Caso a mudança seja confirmada, o Brasil, que já é o maior medalhista dos Jogos, vai melhorar ainda sua colocação. A seleção iria para quatro ouros e duas pratas. Já os russos, perdendo a medalha, ficariam com dois ouros, duas pratas e um bronze, sendo ultrapassado pelos EUA, que tem três ouros e dois bronzes.

Continua após a publicidade
Publicidade