Clique e assine com até 92% de desconto

Champions: Destaque contra o Real Madrid, Tetê ainda remói saída do Grêmio

Atacante de 20 anos, que brilhou na estreia do Shakhtar Donetsk na Liga dos Campeões, lamenta ter deixado o Brasil precocemente

Por Klaus Richmond Atualizado em 26 out 2020, 18h23 - Publicado em 26 out 2020, 15h09

Com um gol e uma assistência, Tetê foi o cara do Shakhtar Donetsk na história atuação na última quarta-feira, 21, sobre o Real Madrid, no estádio Alfredo Di Stéfano, na Espanha, pela primeira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa. Eleito pela Uefa como melhor em campo na vitória por 3 a 2 e também presente na lista de 100 indicados ao prêmio Golden Boy, premiação realizada pelo jornal italiano Tuttosport para eleger o melhor jogador sub-21 em atividade na Europa, o atacante ainda remói uma saída precoce do Brasil.

“A gente fica um pouco triste por não ter jogado [profissionalmente] no clube que me criou, que me fez ser um homem. Cheguei com oito anos e saí com 19”, disse o jogador em entrevista a PLACAR. “Quem sabe, futuramente, não possa voltar e vestir a camisa do Grêmio. Seria um sonho para mim”, acrescentou.

  • O jogador deixou o país em fevereiro de 2019 no meio de discussões de seu estafe com o técnico Renato Gaúcho. Apelidado de “Furacão” na base, teve sua situação exposta publicamente em declarações de Renato durante uma entrevista a jornalistas. Na ocasião, o treinador citou que “nem a pedido do presidente” aceitaria interferências em seu trabalho e que o jogador não estava pronto para subir a equipe principal.

    “Não adianta empresário vir tumultuar, amiguinho… tem que fazer por onde para estar no grupo principal. Não é porque foi para a seleção, comigo tem que jogar. No grito, no papo, não cola nunca”, disse à época. Após a concretização da venda para o Shakhtar, Renato ainda afirmou ter apoiado a decisão de diretoria dizendo que os valores eram irrecusáveis.

    Na despedida, Tetê afirmou que jamais chegou sequer a ser procurado por Renato. Em entrevista à ESPN, em junho deste ano, contou que o presidente Romildo Bolzan duvidou que a proposta dos ucranianos fosse verdadeira. Mesmo assim, não guarda mágoas do treinador. “Renato é um grande treinador, vem fazendo coisas extraordinárias no Grêmio, vem ganhando títulos, crescendo a equipe e colocando o Grêmio em outro patamar, em outra dimensão”, ponderou.

    Tetê abriu o placar para o Shakhtar Donetsk na vitória contra o Real Madrid, na Espanha, na estreia pela Liga dos Campeões da Europa – 21/10/2020 Alejandro Rios/DeFodi Images/Getty Images

    Tetê foi vendido em fevereiro de 2019 por 10 milhões de euros (42 milhões de reais à época), além da manutenção de mais 15% dos direitos econômicos. Neste mesmo mês, PLACAR publicou uma reportagem listando a jovem promessa como um dez talentos nascidos a partir do ano de 2000 a serem acompanhados. Também faziam parte da lista Talles Magno, Gabriel Veron, Rodrygo, Reinier, Vinicius Júnior, Gabriel Martinelli, Antony, João Pedro e Yan Couto.

    Continua após a publicidade

    Desde então, o jovem dá mostras de crescimento na Europa. No fim do último ano, teve atuação destacada em duelo pela fase de grupos da Liga dos Campeões contra o Manchester City de Pep Guardiola. O Shakhtar empatou por 1 a 1 e o jogador acabou como melhor em campo. Há quatro meses, saiu do banco de reservas para marcar dois gols em 18 minutos na vitória por 3 a 2 sobre o Oleksandria, que ajudou o time ucraniano a virar o confronto e sagrar-se tetracampeão nacional.

    “Uma das coisas que aprendi com o [treinador português] Luís Castro foi a forma de marcar, de ser mais agressivo. É um treinador muito bom porque dá liberdade no último terço para fazermos nosso jogo, driblar no meu caso e ir para cima da marcação”, conta. “O que mais evoluí foi na marcação. Ele tem falado comigo bastante, me orientado, e posicionado o meu corpo”.

    Com a legião de brasileiros do Shakhtar – são 13, ao todo, contabilizando o meia Marlos e atacante Junior Moraes, naturalizados ucranianos –, Tetê tem maior proximidade com Dentinho. “Ele tem me ajudado bastante aqui por ser mais experiente, por ter jogado no Brasil, conquistado títulos pelo Corinthians. Tem me orientado, falado o que é importante para um jogador”.

    Tetê cita que o atual momento é reflexo de uma série de decisões. Desde os 12 anos não ingere refrigerante e evita comidas de fast-food. Ele ainda conta que treina diariamente quatro vezes por dia, duas em uma academia particular no prédio onde mora e outras duas no clube, além de contar com o cuidado de nutricionista particular e de um personal trainer.

    “Um atleta precisa ter uma alimentação saudável, precisa estar bem para dentro de campo render. Tenho um nutricionista, um personal, para que possa ter um alto rendimento na partida e me recupere o mais rápido possível”, explica.

    A equipe ucraniana está no Grupo B da Liga dos Campeões. Na próxima rodada, o time enfrentará a Inter de Milão. A partida acontecerá às 14h55 (horário de Brasília), em Donetsk. Será a chance de revanche para o Shakhtar. Em agosto, o duelo aconteceu pela semifinal da Liga Europa, em jogo único, e foi vencido pelos italianos por 5 a 0.

    UOL Esporte Clube | Assine e acompanhe transmissões de grandes jogos e programas esportivos de onde você estiver.

    Continua após a publicidade
    Publicidade