Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

CBF justifica convocação de Pedro e compra briga com o Flamengo

"Ele tem uma vontade enorme de defender o Brasil e nossa mentalidade é escolher os melhores", afirmou o coordenador Branco; clube não pretende liberá-lo

Por Alexandre Senechal, Luiz Felipe Castro Atualizado em 17 jun 2021, 13h06 - Publicado em 17 jun 2021, 12h41

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) comprou uma briga com o Flamengo. Nesta quinta-feira, 17, o atacante rubro-negro Pedro foi convocado pela seleção olímpica que disputará os Jogos de Tóquio a partir do mês que vem, mesmo após o clube carioca ter avisado que não liberaria o jogador. O coordenador de seleções de base da CBF, o ex-jogador Branco, admitiu o conflito e justificou a escolha.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

“A gente trabalha e sempre trabalhou visando a questão técnica e escolhendo os melhores. O Flamengo tem uma posição e nós, tecnicamente, temos outra. O Pedro hoje é um jogador importante e determinante nesse processo olímpico”, afirmou Branco em entrevista coletiva na sede da entidade, no Rio.

“Ele é um jogador que fez três gols nos nos últimos dois jogos que fizemos, é um jogador espetacular e que tem vontade enorme de disputar a Olimpíada. A gente respeita a posição dos clubes, mas o nosso pensamento e de mentalidade é de escolher os melhores”, completou.

Procurados por PLACAR, dirigentes do Flamengo confirmaram o incômodo com a situação e devem manter a posição de não liberar o atacante. Uma nota oficial sobre o assunto deve ser divulgada em breve.

  • O próprio jogador, no entanto, já se manifestou nas redes sociais, demonstrado sua satisfação pela convocação. “Ser chamado para defender as cores da seleção brasileira é motivo de orgulho, satisfação e demonstração que todo o esforço do dia a dia foi reconhecido”. O jogador ainda agradeceu o Flamengo por “proporcionar essa convocação.”

    Continua após a publicidade

    O clima entre o atual campeão brasileiro e a entidade não é dos melhores. Há uma semana, um episódio envolvendo o atacante Gabriel Barbosa, que serve a seleção na Copa América, expôs divergências. Ao ser informado pela CBF que o atacante apresentou um edema após partida das Eliminatórias, o Flamengo queria que Gabigol se apresentasse à concentração do clube em Curitiba, para realizar novos exames, o que não ocorreu.

    “Gabriel Barbosa descumpriu a determinação de se apresentar na última quarta-feira (09.06), em Curitiba, impossibilitando a avaliação do Departamento Médico do Flamengo. O clube ainda aguarda a reapresentação do atleta”, escreveu o Flamengo em nota, evidenciando o mal-estar com o atleta, que permaneceu concentrado com a seleção.

    Além disso, o presidente Rodolfo Landim foi um dos líderes da reunião entre clubes da Série A que definiu o objetivo de criar uma liga independente, que substituiria o Brasileirão, organizado pela CBF. O caso Pedro deve colocar ainda mais lenha nesta fogueira. Outros clubes também podem contestar a CBF pelo chamado olímpico, já que não se trata de uma competição organizada pela Fifa e, portanto, sem obrigatoriedade de liberação.

    O Palmeiras deve liberar o lateral Gabriel Menino, assim como Athletico Paranaense não se oporá ao chamado do goleiro Santos. Existe expectativa em torno de Daniel Alves, do São Paulo, chamado para ser o líder da equipe olímpica, aos 38 anos. A seleção olímpica se apresenta em São Paulo em 1º de julho e estreia na competição no Japão dia 22, contra a Alemanha, numa reedição da última final. Enquanto os Jogos acontecem na Ásia, serão disputados jogos decisivos da Libertadores e da Copa do Brasil, além do Brasileirão.

    Continua após a publicidade
    Publicidade