Clique e assine a partir de 9,90/mês

Carrasco de Messi, Alisson diz que elenco brasileiro “também tem craques”

O camisa 1 da seleção minimizou o bom retrospecto contra o camisa 10 argentino, preferindo valorizar ambas as equipes que se enfrentam nesta semifinal

Por Luiz Felipe Castro - 1 jul 2019, 20h00

BELO HORIZONTE – Na véspera do clássico diante da Argentina, pela semifinal da Copa América, a seleção brasileira escalou para a entrevista desta segunda-feira, 1º, o jogador que traz as piores recordações ao craque rival Lionel Messi: o goleiro Alisson Becker, protagonista das vitórias de Roma e Liverpool que eliminaram o Barcelona das últimas Ligas dos Campeões.

O camisa 1, no entanto, evitou personalizar o duelo. “Claro que o Messi chama mais a atenção, mas temos de estar focados no que vamos fazer para neutralizar toda a seleção argentina, que dispensa comentários, com outros atletas como Agüero e outros jogadores”, disse, em tom político. Diante da insistência dos jornalistas, detalhou as vitórias diante do craque e ressaltou o jogo coletivo.

“Não existe lógica, há jogos em que um jogador faz a difrença, como o Messi na primeira partida contra o Liverpool, no Camp Nou. No segundo, o nosso aspecto coletivo prevaleceu. Num Brasil x Argentina, o histórico fica de fora, o que conta e a convicção no trabalho. Eu prefiro focar no coletivo, isso pode dar mais resultado, e dentro desse coletivo, nós também temos individualidades, craques de muita qualidade e que podem fazer a diferença.”

O técnico Tite fez elogios mais diretos a Messi, mas também preferiu exaltar seus próprios comandados. “Não se anula Messi. Pode-se diminuir suas ações, mas não há como neutralizar jogadores deste tipo. Assim como não se neutraliza Coutinho, Firmino, Willian, Neres… em algum momento, jogadores como estes vão sobressair.”

Continua após a publicidade

Messi, que ainda não brilhou nesta edição do torneio, tem um retrospecto negativo diante da seleção brasileira. Os eternos rivais se enfrentam às 21h30 de terça-feira, 2, no Mineirão. Quem passar enfrentará o vencedor de Peru e Chile, que jogam na quarta-feira, 3, em Porto Alegre.

Publicidade