Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Campeão, Gabigol provoca Galhardo, do Inter: ‘Moleque’

Camisa 9 do Flamengo reclamou de declarações do rival e provocou o vice-campeonato do Internacional; atacante elogiou o trabalho do técnico Rogério Ceni

Por Da Redação Atualizado em 26 fev 2021, 16h31 - Publicado em 26 fev 2021, 00h51

Artilheiro do Flamengo na campanha do oitavo título brasileiro, o segundo consecutivo do clube, o atacante Gabriel Barbosa iniciou uma polêmica minutos após a nova conquista com o clube. Em transmissão ao vivo no Instagram do volante Willian Arão, ainda no gramado do Morumbi, o camisa 9 direcionou críticas ao atacante Thiago Galhardo, do Internacional, vice-artilheiro da competição, com 17 gols.

“Ô seu Galhardo, seu moleque, você tem que respeitar, ô garoto. Olha aqui para você, ó (apontando para a medalha). Cheira aqui garoto, seu moleque. Não foi campeão, não foi artilheiro. Beijo, o recado está dado”, disse Gabigol. Galhardo acabou ultrapassado por Luciano, do São Paulo, que encerrou a competição como artilheiro, com 18 gols, ao lado de Claudinho, do Red Bull Bragantino.

  • Arão continuou no gramado mostrando a festa dos jogadores do Flamengo. Na sequência, em novo vídeo, novamente com Gabriel ele questionou: “tem cheiro de que?”, entregando a taça para o jogador. “Conheço esse cheiro já”, respondeu o atacante, em resposta a tradicional provocação de rivais, criada em 2016, ao cântico “Cheirinho do hepta” da torcida flamenguista.

    As palavras direcionadas a Galhardo foram uma resposta a um vídeo postado pelo atacante colocado em 24 de janeiro, após vitória sobre do Inter sobre o rival Grêmio. Na ocasião, o time gaúcho liderava o campeonato, e Galhardo fez o sinal do “cheirinho”, interpretado como uma provocação ao Flamengo. O jogador chegou a dizer que se tratava de um “revide local”, sem relação com o clube carioca, mas parece não ter convencido Gabigol e companhia.

    Ver essa foto no Instagram

     

    Continua após a publicidade

    Uma publicação compartilhada por willianarao (@willianarao)

    Ao final do jogo, Gabriel não poupou elogios ao técnico Rogério Ceni. Eles chegaram a entrar em rota de colisão após o jogador sair reclamando ao ser substituído em derrota por 2 a 1 para o Athetico-PR, em 24 de janeiro, válido pela 32ª rodada da competição. Depois disso, o atacante voltou a fazer gols em sequência.

    “A chegada do Rogério nos ajudou muito, nossa atitude mudou bastante. É como eu tinha falado numa coletiva: ‘Como é que um time que venceu uma Libertadores em três minutos não seria capaz de fazer isso em dez jogos?’ Eu sabia que, se a gente se juntasse, seríamos campeões. E fomos”, disse o camisa 9.

    Na partida, Gabriel precisou deixar o campo no segundo tempo devido a lesão na coxa. O atacante acabou substituído por Pedro, que pouco produziu na partida. Ao término da partida,  acompanhou com companheiros o desfecho de Internacional e Corinthians, no Beira-Rio. O Inter marcou nos minutos finais com Edenílson, mas o gol foi anulado por impedimento.

    Assine DAZN | 30 dias grátis para curtir os maiores craques do futebol mundial ao vivo e quando quiser!

    Continua após a publicidade
    Publicidade