Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Campeão com a França em 98 critica Neymar no PSG: ‘Vendia já’

Dugarry disse que com venda do brasileiro clube poderia trazer 3 ou 4 reforços

Por Gazeta Press 27 mar 2019, 12h27

Um dos principais críticos de Neymar na imprensa francesa, o ex-jogador Christophe Dugarry voltou a atacar a presença do brasileiro no Paris Saint-Germain. Desta vez o ex-atacante, campeão mundial com a seleção da França em 1998, afirmou que venderia o camisa 10 caso trabalhasse no clube para contratar mais jogadores que formassem uma equipe mais completa.

“Pessoalmente, eu vendia já (Neymar). Claro que não o deixaria sair de graça e sem ter um plano e alvos para poder substituí-lo. Mas se receber, por exemplo, 250 milhões de euros (aproximadamente 1 bilhão de reais), mais o salário que ele recebe, daria para contratar três ou quatro reforços”, disse Dugarry ao canal francês RMC.

Ainda nos tempos em que Neymar vestia a camisa do Barcelona, o ex-jogador francês era conhecido pelas críticas efusivas ao brasileiro, tanto por atuações ruins quanto pela postura fora de campo. Após a derrota do PSG para o Liverpool, por exemplo, na fase de grupos da Liga dos Campeões, Dugarry considerou a atuação do camisa 10 “inaceitável”.

  • A declaração de maior repercussão do campeão mundial, no entanto, aconteceu em abril de 2018, antes da Copa do Mundo da Rússia, quando Neymar se recuperava de lesão. Na época, o jogador não compareceu ao jogo que garantiu o título francês ao PSG na última temporada, e teve a postura condenada. “Ele está cuspindo no clube, acho escandaloso”, ressaltou Dugarry.

    Desde janeiro, Neymar se recupera de uma lesão semelhante à de antes da Copa do Mundo, no quinto metatarso (osso na parte mediana do pé). Ele se machucou na vitória do Paris Saint-Germain sobre o Strasbourg pela Copa da França, no começo do segundo tempo, esaiu chorando após sentir dores. Depois, por meio de um comunicado, o clube francês confirmou que a lesão é no mesmo local que o atacante tratou antes do Mundial da Rússia.

    Continua após a publicidade
    Publicidade