Clique e assine a partir de 9,90/mês

Brasileirão chega a 6 demissões de técnicos em 7 rodadas

Roger Machado foi o último dispensado, após derrota do Bahia para o Flamengo. Desde o início do ano, apenas seis clubes da elite mantiveram seus treinadores

Por Da Redação - Atualizado em 8 set 2020, 17h10 - Publicado em 3 set 2020, 11h28

Em meio à pandemia do coronavírus, o futebol brasileiro segue seu “velho normal”. Em apenas sete rodadas do Brasileirão, seis treinadores já foram demitidos. O último foi Roger Machado, dispensado pelo Bahia nesta quarta-feira, 2, após derrota por 5 a 3 para o atual campeão Flamengo, em Salvador – e dias depois de o presidente do clube, Guilherme Bellintani, bancar sua permanência em um longo texto nas redes sociais.

Em sua nota oficial, o clube fez questão de ressaltar o retrospecto do técnico. “No Tricolor desde abril do ano passado, o profissional conquistou os títulos estaduais de 2019 e 2020. Desde então, foram 74 jogos, com 30 triunfos, 22 empates e 22 derrotas – aproveitamento de 50%. A diretoria agradece os serviços prestados e deseja boa sorte no seguimento de sua carreira. O auxiliar Cláudio Prates assume até a chegada do novo técnico.”

Antes de Roger Machado, os outros demitidos foram Eduardo Barroca (Coritiba) e Ney Franco (Goiás), em quatro rodadas, Daniel Paulista (Sport) e Dorival Jr. (Athletico-PR), em cinco rodadas, e Felipe Conceição (Red Bull Bragantino), em seis.

Contando desde o início da temporada, apenas Corinthians, Grêmio, Fortaleza, Inter, Palmeiras e São Paulo não trocaram de treinador – o gremista Renato Gaúcho, que completará quatro anos de clube em setembro, é o mais longevo do futebol nacional. O Flamengo não demitiu seu técnico em 2020, mas viu Jorge Jesus trocar o clube pelo Benfica; seu substituto, o espanhol Domènec Torrent teve um início turbulento, mas se recuperou nos últimos jogos.

Nem mesmo os estrangeiros escaparam da exigente rotina do futebol brasileiro. O Santos demitiu o técnico português Jesualdo Ferreira após apenas 15 jogos. No início do ano, seu compatriota Augusto Inácio durou apenas sete jogos no Avaí. Em seguida, ainda em fevereiro, a trajetória do venezuelano Rafael Dudamel no Atlético Mineiro terminou com apenas 10 jogos. O argentino Eduardo Coudet, Internacional, foi alvo de cobranças pelos maus resultados nos clássicos contra o Grêmio, mas hoje vive bom momento com a liderança do Brasileirão. 

Outros técnicos aparecem na berlinda. Mesmo invicto no Brasileirão, com duas vitórias e quatro empates, o Palmeiras de Vanderlei Luxemburgo não empolga a torcida alviverde. Tiago Nunes ganhou fôlego no Corinthians com a vitória desta quarta sobre o Goiás. Certamente, novas demissões virão (no ano passado, foram 17 ao todo). Qual será o próxima?

UOL Esporte Clube | Assine e acompanhe transmissões de grandes jogos e programas esportivos de onde você estiver.

Continua após a publicidade
Publicidade