Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasileirão 2018: 27 treinadores já deixaram os clubes

Diego Aguirre deixou o São Paulo após sair do G4 com empate contra o Corinthians

Diego Aguirre tornou-se o 27° treinador a deixar um clube no Campeonato Brasileiro de 2018. Neste domingo, ele foi demitido do comando do São Paulo, um dia após empate de 1 a 1 contra o Corinthians, em Itaquera. Ele era um dos treinadores que estavam no comando da mesma equipes desde o início do torneio Antes dele, outros 22 perderam o emprego até a 29ª rodada do torneio e mais quatro deixaram os clubes para assumirem outras equipes: Fábio Carille trocou o Corinthians para o Al Wehda, da Arábia Saudita; Enderson Moreira, deixou o América-MG rumo ao Bahia; Alberto Valentim saiu do Botafogo para assumir o Pyramids, do Egito; e Claudinei Oliveira trocou o Paraná pela Chapecoense.

Apenas três equipes ainda não trocaram de treinador: Internacional (Odair Hellmann), Grêmio (Renato Gaúcho) e Cruzeiro (Mano Menezes).

Os treinadores que deixaram clubes da Séria A:

Nelsinho Baptista – Sport24 de abril

Pediu demissão do Sport após a segunda rodada do Campeonato Brasileiro, em que o clube empatou com o Botafogo por 1 a 1. Criticou muito a diretoria do clube antes da saída. – Time estava na 17ª posição, na zona de rebaixamento

Campanha – 2 jogos, 1 empate e 1 derrota; 1 gol pró, 4 gols contra

Nelsinho Baptista, técnico do Sport (Williams Aguiar/Sport Club do Recife/Divulgação)

Marcelo Chamusca – Ceará20 de maio

Foi demitido logo após a sexta rodada do Campeonato Brasileiro, em derrota de 2 a 1 para o Vitória. – Time estava na 19ª posição, na zona de rebaixamento

Campanha – 6 jogos, 3 empates e 3 derrotas; 4 gols pró, 10 gols contra

Marcelo Chamusca comandou o Ceará (Bruno Aragão/Ceara SC/Flickr)

Fábio Carille – Corinthians22 de maio

Não foi demitido, mas deixou o clube após a sexta rodada do Campeonato Brasileiro, no empate em 1 a 1 com o Sport no Recife. Recebeu proposta alta do  Al Wehda, da Arábia Saudita, e foi comandar o time do Oriente Médio. – Deixou o clube em 3° no Campeonato Brasileiro

Campanha – 6 jogos, 3 vitórias, 2 empates e 1 derrota; 9 gols pró, 4 gols contra

Fábio Carille

Fábio Carille foi treinador do Corinthians (Heitor Feitosa/VEJA.com)

Zé Ricardo – Vasco2 de junho

Sem conseguir um bom desempenho no Vasco, pediu demissão após a nona rodada, em derrota de 2 a 1 para o Botafogo. – Time estava na 12ª posição

Campanha – 8 jogos, 3 vitórias, 2 empates e 3 derrotas; 12 gols pró, 12 gols contra

O técnico Zé Ricardo, do Vasco (30.05.2018)

Zé Ricardo comandou o Vasco (Thiago Ribeiro/Folhapress)

Guto Ferreira – Bahia3 de junho

Também foi demitido na nona rodada, após derrota de 2 a 0 para o Grêmio, em Salvador. – Time estava na 18ª posição, na zona de rebaixamento

Campanha – 9 jogos, 2 vitórias, 2 empates e 5 derrotas; 6 gols pró, 13 gols contra

Guto Ferreira durante coletiva no Bahia

Guto Ferreira estava no Bahia (Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação)

Jorginho – Ceará4 de junho

Foi o segundo treinador do Ceará demitido. Ficou apenas 15 dias no comando do clube e pediu demissão após três derrotas. Também saiu na nona rodada, após derrota de 1 a 0 para o Cruzeiro em Fortaleza. – Time estava na 20ª posição, na zona de rebaixamento

Campanha – 3 jogos, 3 derrotas; 0 gols pró, 4 gols contra

Jorginho, técnico do Ceará (Israel Barbosa/Ceará SC/Divulgação)

Abel Braga – Fluminense16 de junho

Foi outro treinador a pedir demissão. Fez o pedido logo após a última rodada antes da Copa do Mundo, a 12ª, após perder de 1 a 0 para o Santos no Rio de Janeiro. Justificou que o desgaste foi grande. – Time estava na 12ª posição

Campanha – 12 jogos, 4 vitórias, 2 empates, 6 derrotas; 14 gols pró, 17 gols contra

SPORT e FLUMINENSE - O técnico Abel Braga

Abel Braga saiu do Fluminense (PEU RICARDO/Estadão Conteúdo)

Enderson Moreira – América-MG 16 de junho

Na última rodada antes da parada da Copa do Mundo, se despediu do América-MG com grande campanha, após empate sem gols com a Chapecoense em Belo Horizonte, para assumir o comando do Bahia – Deixou o clube na 13ª colocação

Campanha – 12 jogos, 4 vitórias, 2 empates, 6 derrotas; 14 gols pró, 18 gols contra

Enderson Moreira trocou o América-MG pelo Bahia (Mourão Panda/América Futebol Clube/Flickr)

Alberto Valentim – Botafogo19 de junho

Durante a Copa do Mundo, deixou o Botafogo para assumir o comando do Pyramids FC, do Egito, clube “novo rico” do futebol brasileiro, que depois trouxe alguns jogadores brasileiros para o elenco. – Deixou o clube na 9ª colocação

Campanha – 12 jogos, 4 vitórias, 5 empates, 3 derrotas; 16 gols pró, 14 gols contra

Alberto Valentim, ex-técnico do Botafogo - 16/04/2018

Alberto Valentim, ex-técnico do Botafogo (Vitor Silva/SSPress/Botafogo/Flickr/Divulgação)

Fernando Diniz – Atlético-PR25 de junho

Foi demitido durante a parada da Copa do Mundo, no dia da reapresentação da equipe após 11 dias de descanso. O clube estava na zona de rebaixamento. – Time estava na 19ª posição, na zona de rebaixamento

Campanha – 12 jogos, 2 vitórias, 3 empates, 7 derrotas; 10 gols pró, 15 gols contra

Fernando Diniz já dirigiu Atlético Paranaense (SporTV/Reprodução)

Jair Ventura – Santos23 de julho

Após o retorno da Copa do Mundo, foi demitido após o empate em 0 a 0 com a Chapecoense, fora de casa, na 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. – Time estava na 15ª posição

Campanha – 13 jogos, 4 vitórias, 3 empates, 6 derrotas; 15 gols pró, 17 gols contra

Jair Ventura comandou o Santos (Alexandre Schneider/Getty Images)

Roger Machado – Palmeiras26 de julho

Caiu na 15ª rodada, após derrota de 1 a 0 para o Fluminense no Rio de Janeiro. Foi demitido com o Palmeiras na sexta colocação do Campeonato Brasileiro.

Campanha – 15 jogos, 6 vitórias, 5 empates, 4 derrotas; 22 gols pró, 15 gols contra

Roger Machado durante apresentação no Palmeiras

Roger Machado saiu do Palmeiras (SE Palmeiras/Flickr)

Vágner Mancini – Vitória29 de julho

Desgastado e com resultados ruins, incluindo derrota de 4 a 1 para o Bahia. Deixou o clube após a 16ª rodada, em derrota de 4 a 0 para o Atlético-PR. – Time estava na 13ª posição

Campanha – 16 jogos, 5 vitórias, 3 empates, 8 derrotas; 19 gols pró, 31 gols contra

Vagner Mancini

Vágner Mancini não está mais no Vitória (Miguel Schincariol/Getty Images)

Marcos Paquetá – Botafogo1° de agosto

Foi o primeiro treinador demitido após um resultado ruim fora do Campeonato Brasileiro. Caiu após derrota de 2 a 1 para o Nacional do Paraguai, na Copa Sul-americana. Tinha assumido o clube após saída de Alberto Valentim para o Pyramids, do Egito. – Time estava em 11° no Campeonato Brasileiro

Campanha – 4 jogos, 1 vitória, 3 derrotas; 1 gol pró, 7 gols contra

Marcos Paquetá era técnico do Botafogo (Vitor Silva/SSPress/Botafogo/Flickr)

Gilson Kleina – Chapecoense6 de agosto

Foi demitido após empate em 1 a 1 com o Sport, no Recife, e aproximação da zona de rebaixamento. O gol do time nordestino foi marcado nos acréscimos e impediu a vitória dos catarinenses, que ainda disputam a Copa do Brasil. Foram apenas três vitórias em 17 partidas do clube no Campeonato Brasileiro. – Time estava em 16° no Campeonato Brasileiro

Campanha – 17 jogos, 3 vitórias, 9 empates, 5 derrotas; 17 gols pró, 23 gols contra

GIlson Kleina treinou a Chapecoense (Sirli Freitas/Chapecoense Oficial/Flickr)

Claudinei Oliveira – Sport12 de agosto

Há oito rodadas sem vencer no Campeonato Brasileiro, pediu demissão do Sport logo após derrota de 3 a 1 para o São Paulo na Ilha do Retiro. – Time estava na 17ª posição, na zona de rebaixamento

Campanha – 16 jogos, 5 vitórias, 4 empates e 7 derrotas; 18 gols pró, 23 gols contra

Claudinei Oliveira dirigia o Sport (Williams Aguiar/Sport Club do Recife/Divulgação)

Jorginho – Vasco 13 de agosto

Foi demitido após perder três jogos seguidos com o Vasco (São Paulo, Corinthians e Palmeiras). Treinou o Vasco em apenas 10 partidas nessa passagem, sete deles no Campeonato Brasileiro. – Time estava na 15ª posição.

Campanha – 7 jogos, 2 vitórias, 1 empate e 4 derrotas; 8 gols pró, 13 gols contra

Cauã Reymond foi o jogador Jorginho em ‘Avenida Brasil’, 2012

Jorginho deixou o Vasco (Divulgação/VEJA)

Rogério Micale – Paraná 14 de agosto

Foi demitido após 18 rodadas no comando do Paraná Clube. Deixou o clube na última colocação do Campeonato Brasileiro. Saiu após empate em 1 a 1 com o Botafogo, em Curitiba. – Time estava na 20ª posição.

Campanha – 18 jogos, 3 vitórias, 5 empates e 10 derrotas; 9 gols pró, 24 gols contra

Rogério Micale, técnico do Atlético MG

Rogério Micale deixou o comando do Paraná (Daniel Teobaldo/Folhapress)

Osmar Loss – Corinthians 5 de setembro

Não foi demitido, mas voltou a ser auxiliar após 22 jogos no comando do Corinthians. Deixou o clube após derrota de 2 a 1 para o Ceará, na 23ª rodada. – Time estava na 8ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 17 jogos, 5 vitórias, 4 empates e 8 derrotas; 16 gols pró, 16 gols contra

Ao vivo o jogo Internacional x Corinthians pelo Campeonato Brasileiro

Osmar Loss não é mais treinador do Corinthians (Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians)

Eduardo Baptista – Sport 24 de setembro

Foi demitido do Sport após derrota para o Palmeiras na 26ª rodada, em Recife. Foram apenas oito jogos dirigindo o time, todos no Campeonato Brasileiro. Deixou o clube na zona de rebaixamento. – Time estava na 19ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 8 jogos, 1 vitória, 1 empate e 6 derrotas; 2 gols pró, 12 gols contra

Eduardo Baptista deixa o Sport e é o novo técnico do Fluminense

Eduardo Baptista deixa o Sport (Geraldo Bubniak/Folhapress)

Maurício Barbieri – Flamengo 28 de setembro

Um dos treinadores que iniciou o Campeonato Brasileiro, Barbieri deixou o Flamengo após ser eliminado da Copa do Brasil para o Corinthians. Tornou-se o treinador demitido com o melhor desempenho no torneio nacional. – Time estava na 4ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 26 jogos, 14 vitórias, 6 empates e 6 derrotas; 38 gols pró, 22 gols contra

O treinador Mauricio Barbieri deixou o comando do Flamengo após eliminação na Copa do Brasil (Alexandre Loureiro/Getty Images)

Guto Ferreira – Chapecoense 15 de outubro

Guto Ferreira foi contratado em agosto, mas não fez o time da Chapecoense melhorar sua situação no Campeonato Brasileiro. Deixou a equipe na zona de rebaixamento. – Time estava na 17ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 12 jogos, 4 vitórias, 1 empate e 7 derrotas; 12 gols pró, 19 gols contra

Guto Ferreira foi demitido da Chapecoense (Giba PaceThomaz/Chapecoese Oficial/Flickr)

Claudinei Oliveira – Paraná 16 de outubro

Deixou o comando do virtual rebaixado Paraná ao ser contratado pela Chapecoense, que também luta contra o rebaixamento. Não conquistou nenhuma vitória pelo Paraná. – Time estava na 20ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 11 jogos, 0 vitória, 3 empates e 8 derrotas; 3 gols pró, 19 gols contra

Claudinei Oliveira deixou o Paraná para assumir a Chapecoense (Rodrigo Sanches/Paraná Clube/Divulgação)

Thiago Larghi – Atlético-MG 17 de outubro

Vindo da base do Atlético-MG, iniciou o Campeonato Brasileiro comandando o clube, mas foi demitido após 29 rodadas, em seguida ao empate em 0 a 0 com o América-MG. – Time estava na 6ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 29 jogos, 13 vitórias, 7 empates e 9 derrotas; 47 gols pró, 34 gols contra

Thiago Larghi deixou o comando do Atlético-MG após 29 rodadas (Bruno Cantini/Atlético/Divulgação)

Paulo César Carpegiani – Vitória 6 de novembro

Estava desde a última rodada do primeiro turno no comando do Vitória e deixou a equipe após empate em 1 a 1 contra o lanterna Paraná Clube, em Curitiba. – Time estava na 17ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 14 jogos, 4 vitórias, 3 empates e 7 derrotas; 11 gols pró, 17 gols contra

O técnico Paulo Cesar Carpegiani deixou o comando do Vitória (Rubens Cavallari/Folhapress)

Adílson Batista – América-MG 10 de novembro

Estava desde a 15ª rodada no comando do América-MG e apesar do sucesso inicial, teve uma queda nas últimas rodadas, somando dez partidas sem vitórias. Deixou o time entrar na zona de rebaixamento e caiu após derrota em casa para o lanterna e já rebaixado Paraná Clube. – Time estava na 18ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 19 jogos, 4 vitórias, 8 empates e 7 derrotas; 12 gols pró, 17 gols contra

Adilson Batista é o novo técnico do São Paulo

Adilson Batista foi demitido do América-MG no sábado (Geraldo Bubniak / Fotoarena/VEJA)

Diego Aguirre – São Paulo 11 de novembro

Um dos treinadores que havia iniciado o campeonato por um time e se mantido nele, foi demitido no domingo, um dia após o empate em 1 a 1 contra o maior rival, Corinthians, fora de casa. Chegou a liderar o Brasileirão. – Time estava na 5ª posição.

Campanha no Campeonato Brasileiro – 33 jogos, 15 vitórias, 13 empates e 5 derrotas; 44 gols pró, 30 gols contra