Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro diz que abraçará Neymar antes de amistoso: ‘Acredito nele’

O presidente da República declarou que deve ir ao jogo da seleção brasileira contra o Catar, em Brasília, e consolar o atacante, acusado de estupro

Por Da Redação - Atualizado em 5 jun 2019, 15h01 - Publicado em 5 jun 2019, 13h39

O presidente Jair Bolsonaro declarou apoio a Neymar nesta quarta-feira, 5. O atacante da seleção brasileira é acusado de estupro por uma mulher, em crime que teria acontecido em Paris, na França, no dia 15 de maio. O presidente contou também que pretende ir ao estádio Mané Garrincha, em Brasília, para acompanhar o amistoso entre Brasil e Catar, nesta quarta, às 21h30 (de Brasília) para abraçar jogador do Paris Saint-Germain.

Tabela completa de jogos da Copa América 2019

“Hoje devo estar no jogo do Brasil, espero dar um abraço no Neymar antes do jogo. Está em num momento difícil, mas acredito nele. Neymar, hoje à noite estamos juntos”, declarou o presidente em Aragarças (GO), a 380 quilômetros de Goiânia, durante o lançamento do projeto Juntos pelo Araguaia, em comemoração do Dia Mundial do Meio Ambiente.

Uma mulher registrou na última sexta-feira um boletim de ocorrência acusando Neymar de estupro. O jogador publicou um vídeo no Instagram negando. “O que aconteceu foi uma relação entre um homem e uma mulher, algo que acontece entre quatro paredes, algo que acontece com todo casal”, disse Neymar, em um dos trechos da publicação, que provocou a abertura de investigação contra ele por causa da divulgação de fotos íntimas da mulher que o acusa. 

Policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) foram ao CT da seleção brasileira, em Teresópolis (RJ), na segunda-feira 3, e intimaram Neymar a depor na próxima sexta. O jogador é investigado por supostos crimes virtuais cometidos no último domingo, quando ele publicou o vídeo. Desde o ano passado, a divulgação de imagens íntimas sem consentimento das partes é crime passível de prisão. O vídeo foi retirado do ar pelo Instagram “por violar os padrões” da sua comunidade.

Continua após a publicidade

Em abril, Neymar da Silva Santos, pai do jogador Neymar, foi recebido pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para “prestar esclarecimentos” sobre processo contra o jogador que será julgado pelo Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). De acordo com o Ministério da Economia, o pai do jogador foi recebido inicialmente por Bolsonaro para falar sobre o processo e foi encaminhado a Guedes e ao secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, por se tratar de um tema ‘de natureza técnica’.

Em 2015, a Receita multou o jogador em 188 milhões de reais em processo que investigava sonegação fiscal. No mesmo ano, a Justiça chegou a bloquear, a pedido do Fisco, bens do jogador nesse montante.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade