Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Boca Juniors pede adiamento de jogos por ter atletas na seleção olímpica

Pressão, porém, não surtiu efeito e reinício da Superliga Argentina foi mantido para o dia 24; atletas convocados podem perder 4 jogos

Por Da Redação - 16 jan 2020, 15h42

Sob nova direção, com Jorge Ameal como presidente e o ídolo Juan Román Riquelme como segundo vice-presidente, o Boca Juniors iniciou o ano de 2020 protestando. Nesta quinta-feira 16, o clube mais popular de Buenos Aires emitiu uma nota na qual solicitou o adiamento do reinício da Superliga Argentina alegando estar em “desvantagem”, por ter dois titulares convocados à seleção que disputará o pré-olímpico de Tóquio-2020: Nicolás Capaldo e Alexis MacAllister.

“Se há algo que caracteriza o Boca ao longo de sua história é o compromisso com as seleções nacionais e em todas as suas representações. Pretendemos continuar com esse compromisso, cuidando dos interesses de nosso clube, que é a tarefa que nossos sócios nos encomendaram nas eleições de 8 de dezembro de 2019”, escreveu o clube.

Outros clubes e até mesmo a Associação de Futebol Argentino (AFA) já haviam manifestado seu desejo de adiar o reinício, enquanto o governo e a televisão pressionavam por sua manutenção. A pressão final do Boca, no entanto, não surtiu efeito.

Nesta tarde, foi realizada uma votação com os representantes dos 24 clubes da primeira divisão e apenas 15 votaram a favor do adiamento – um a menos do que o necessário para alcançar 2/3 dos votos. Com isso, o reinício da liga ocorrerá como previsto, no dia 24 de janeiro.

Publicidade

O torneio pré-olímpico na Colômbia começa dia 18 e termina em 9 de fevereiro. Caso a seleção argentina chegue à final, os atletas convocados perderiam jogos de quatro rodadas (da 17ª à 20ª). O Argentinos Juniors é o líder do Campeonato com 30 pontos, uma mais que o Boca.

Publicidade

A seleção brasileira também conta com diversos atletas titulares de clubes do país, como Bruno Guimarães, do Athletico Paranaense, Antony, do São Paulo, e Pedrinho, do Corinthians, que desfalcarão seus times nos primeiros jogos da temporada.

Publicidade