Clique e assine com 88% de desconto

Bélgica cita ‘respeito imenso’ por Brasil e Lukaku defende Neymar

Fluente em português, atacante do Manchester United diz que "Neymar não é ator e será o melhor jogador do mundo'

Por Luiz Felipe Castro - Atualizado em 5 jul 2018, 14h08 - Publicado em 5 jul 2018, 13h58

KAZAN – Admiração sincera ou estratégia? A forma extremamente elogiosa como a Bélgica vem tratando a seleção brasileira antes do confronto desta sexta-feira, às 15h (de Brasília), pelas quartas de final da Copa do Mundo, chega a surpreender, dada a qualidade do time belga, que se coloca sem cerimônias na posição de “zebra”. Nesta sexta-feira, o técnico Roberto Martínez e o atacante Romelu Lukaku falaram da “grande oportunidade” de enfrentar o maior campeão da competição e até defenderam Neymar das críticas que vem recebendo.

Tabela completa de jogos da Copa do Mundo de 2018

Lukaku, atacante do Manchester United que já marcou quatro gols na Copa do Mundo, adorou a oportunidade de praticar seu excelente português. Fã de guaraná e feijão, o jogador belga de origem congolesa aprendeu o idioma com a convivência com atletas do país, como Willian e David Luiz, nos tempos de Chelsea. Ele foi bastante elogioso ao falar sobre o camisa 10 do Brasil.

“Neymar para mim não é ator, porque os adversários chegam muito duro nele. Ele tem qualidades que não são normais. Penso que ele será o melhor do mundo e estou muito feliz de jogar amanhã contra ele”, contou o atacante poliglota, muito simpático ao longo da entrevista. 

“Nos preparamos como um time. Temos um sistema em que jogamos há dois anos. Como indivíduos também melhoramos. Mas amanhã será um grande teste, vamos jogar contra o melhor time do torneio, o favorito. Vamos ver em que nível estamos como um time”, completou Lukaku.

Publicidade

Martínez: ‘A diferença é que nunca ganhamos a Copa’

Em seguida, o técnico Martínez, que é espanhol, se negou a responder sobre a chance de assumir a seleção de seu país depois da Copa. “Nesse momento, temos de nos focar apenas no Brasil e na nossa oportunidade de enfrentar o  grande favorito.”

Martínez admitiu que a Bélgica tem jogadores tão renomados quanto os do Brasil, como Eden Hazard, Kevin de Bruyne e Romelu Lukaku, mas que o histórico pesa a favor do adversário. “De fato, temos jogadores tão talentosos quanto os deles, mas a diferença é que nunca vencemos a Copa do Mundo e o Brasil é quem mais venceu, por isso temos tanto respeito. Mas é claro que nosso objetivo é vencer.”

Neste sentido, Martínez explicou que o ex-jogador francês Thierry Henry, campeão mundial em 1998 e seu atual assistente, tem trabalhado como um “conselheiro” dos atletas.  ” Ele tem sido muito importante, porque traz aquele know how, ele já ganhou a Copa e a Eurocopa, sabe como se comportar nestas situações, quando sente a oportunidade e a pressão. Foi muito importante.

Martínez elogiou o trabalho de Tite, mas disse que o talento dos atletas será decisivo. “Respeitamos imensamente o Brasil e o trabalho do Tite, mas os jogos não são dos técnicos, são dos jogadores. O talento individual é uma grande arma dos dois times, somos um time que se baseia mais em marcar gols do que em defender, assim como eles.”

Publicidade

Também questionado sobre a fama de “cai-cai” de Neymar, Martínez saiu pela tangente. “Neymar é um do grandes expoentes do futebol ofensivo, espetacular no um contra um. Da Bélgica,, vocês só verão respeito em relação ao Brasil e o futebol brasileiro.”

No fim, tentou apresentar um discurso mais otimista e disse que um jogo contra o “Brasil é o único em que não é preciso fazer nada para ter motivação extra.” “Olhamos o lado positivo, é uma grande oportunidade. O Brasil é segundo do ranking da Fifa e nós somos os terceiros, então sabemos de nossa capacidade. Estamos preparados para jogar futebol, apenas isso.”

O treinador espanhol da seleção da Bélgica Roberto Martinez durante coletiva de imprensa antes da partida contra o Brasil em Kazan John Sibley/Reuters
Publicidade