Clique e assine a partir de 9,90/mês

Barcelona apoia Catalunha e critica ‘medidas contra a democracia’

Clube é neutro em relação à independência, mas defende a liberdade de escolha dos catalães

Por Da redação - 20 Sep 2017, 14h37

O Barcelona se posicionou nesta quarta-feira sobre a oposição do governo espanhol ao referendo de independência da Catalunha e condenou “qualquer ação que atente contra a democracia, a liberdade de expressão e o direito a decidir”. O clube não declarou se é contra ou a favor da independência, mas disse apoiar o direito dos cidadãos de votar.

“Diante dos acontecimentos dos últimos dias, e especialmente hoje, com relação à situação política que vive a Catalunha, o Barcelona, fiel ao seu compromisso histórico com a defesa do país, da democracia, da liberdade de expressão e do direito a decidir, condena qualquer ação que possa impedir o exercício pleno desses direitos”, informou o clube por meio de um comunicado.

Na mensagem, o clube ainda “manifesta publicamente o apoio a todas as pessoas, entidades e instituições que trabalham para garantir esses direitos. O Barcelona, do máximo respeito à pluralidade de sua massa social, seguirá apoiando a vontade da maioria do povo da Catalunha, expressada sempre de uma forma civilizada, pacífica e exemplar”.

A Guarda Civil espanhola deteve nesta quarta-feira 14 pessoas, entre elas vários integrantes do governo regional da Catalunha, como o secretário-geral para a vice-presidência catalã na Economia, o secretário das Finanças – responsável por assuntos sociais – e o diretor do centro de telecomunicações e informática.

Continua após a publicidade

Também foram realizadas nove inspeções em uma operação para impedir a realização do referendo de independência da região, marcado para o dia 1º de outubro, embora suspenso pelo Tribunal Constitucional do país. Na última partida do Barcelona, a goleada por 6 a 1 sobre o Eibar com show de Paulinho e Lionel Messi, diversos torcedores levaram faixas e bandeiras em apoio à independência.

(Com Gazeta Press e EFE)

Publicidade