Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

As forças que correm risco de não ir à Copa da Rússia

Campeões do mundo correm o risco de não se classificarem para o Mundial de 2018

Faltando apenas duas rodadas para o início dos playoffs nas Eliminatórias, que definirão os últimos classificados para a Copa do Mundo, muitas seleções com tradição na disputa de mundiais correm risco de ficarem de fora do torneio.

RISCO ALTO

Austrália – Classificada para a repescagem asiática, enfrenta a Síria e caso consiga eliminar o adversário, disputa uma vaga na Copa contra o quarto colocado nas Eliminatórias da Concacaf, que podem ser EUA, Costa Rica, Honduras ou Panamá. (Jogou todas as Copas do Mundo desde 2006)

Holanda – Faltando duas rodadas, é terceira colocada do grupo A das Eliminatórias europeias, com 13 pontos. Está a quatro pontos da líder França e a três da segunda colocada Suécia. Para sonhar com vaga na Copa, ou pelo menos na repescagem europeia, precisa vencer Suécia e Bielorrússia nas rodadas finais. (Já jogou dez Copas do Mundo e foi três vezes vice-campeã mundial)

RISCO MÉDIO

Argentina – Em quinto lugar nas Eliminatórias Sul-americanas, hoje estaria classificada para a repescagem mundial, contra a Nova Zelândia. Nas duas últimas rodadas, tem confrontos diretos contra o Peru (em casa) e Equador (fora). Com diferença de três pontos para o vice-líder Uruguai (27 x 24), pode até se classificar de forma direta. (Jogou 16 Copas do Mundo – todas desde 1974 –  e foi bicampeã mundial em 1978 e 1986)

Chile – Pior que a Argentina, o Chile está no sexto lugar e não está na zona de classificação nem para a repescagem. Tem 23 pontos e o difícil jogo contra o Brasil, em São Paulo. Ainda recebe o Equador e precisa vencer, além de torcer por tropeços dos rivais. (Jogou nove Copas do Mundo, incluindo as últimas duas e é o atual bicampeão da Copa América)

Estados Unidos – Em quarto lugar nas Eliminatórias da Concacaf, com nove pontos, estaria classificada para o playoff mundial contra Austrália ou Síria. O jogo contra o Panamá, terceiro colocado com 10 pontos, em casa, é decisivo. (Jogou todas as Copas desde 1990)

Itália – Um empate garante o time nos playoffs europeus. A vaga direta depende de tropeços da Espanha, que até aqui só perdeu dois pontos. A situação dos italianos então depende do sorteio dos playoffs, em que pode ter um adversário mais difícil. (Jogou 18 Copas do Mundo e foi campeã em quatro delas)

Suíça – É líder com 100% de aproveitamento, mas pode ser ultrapassada por Portugal na última rodada em caso de derrota. Caso isso aconteça, vai disputar os playoffs europeus e viver a mesma situação da Itália. (Jogou dez Copas do Mundo e esteve presente nas últimas três)

RISCO BAIXO

Colômbia – É terceira colocada das Eliminatórias sul-americanas, com 26 pontos, mas pode se classificar com uma vitória. Enfrenta o Paraguai em casa e o Peru fora, dois rivais diretos pela vaga. (Já disputou cinco Copas e chegou às quartas de final do Mundial de 2014, no Brasil)

Portugal – Portugal consegue vaga direta se vencer Andorra e Suíça. Mas um tropeço em uma dessas partidas, deixará a equipe na repescagem europeia. (Jogou todas as Copas desde 2002 e é o atual campeão europeu)

Uruguai – Vice-líder das Eliminatórias sul-americanas, com 27 pontos, classifica-se com uma vitória. É a única seleção que tem dois adversários que não tem mais perspectivas no continente: Venezuela fora e Bolívia em casa. (Disputou 12 Copas, incluindo as últimas duas, e é bicampeã mundial)

JÁ FORA

Argélia – Com um ponto no grupo B das Eliminatórias africanas, não tem mais chances de alcançar a líder Nigéria e está fora do Mundial. (Jogou as duas últimas Copas e fez um grande jogo contra a Alemanha nas oitavas de final, levando a partida até a prorrogação)

Camarões – Com três pontos no grupo B das Eliminatórias africanas, não tem mais chances de alcançar a líder Nigéria e está fora do Mundial. (Jogou sete Copas, incluindo as duas últimas)