Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Apesar de fracasso do São Paulo, Brasil sobra na pré-Libertadores

Outro brasileiro na preliminar, o Atlético-MG passou por Danubio e Defensor, ambos do Uruguai, e chegou à fase de grupos

Por Da redação - 1 mar 2019, 13h38

Mesmo com o fracasso do São Paulo, eliminado pelo Talleres, o Brasil segue com o melhor desempenho na classificatória para a fase de grupos da Libertadores. A preliminar foi criada em 2005 para aumentar o número de participantes do torneio. De 24 equipes do país que disputaram a pré-Libertadores até hoje, 21 tiveram êxito. A mais recente é o Atlético-MG, que em 2019 eliminou o Defensor com vitória por 2 a 0 no Uruguai e um empate sem gols em Belo Horizonte.

Os argentinos são os que mais se aproximam, também com um alto aproveitamento. Mas, desde 2017, quando o Atlético Tucumán obteve vaga na pré-Libertadores, os clubes do país vizinho não têm êxito nesta fase. O Banfield, em 2018, e o Talleres, neste ano, foram eliminados na terceira fase da preliminar.

Neste ano, os quatro classificados na pré-Libertadores vieram de países distintos. Além do Atlético-MG, pelo Brasil, conseguiram a vaga Libertad (Paraguai), Melgar (Peru) e Palestino (Chile). Atlético Nacional (Colômbia) e Caracas (Venezuela) foram eliminados, mas conseguiram vagas na Copa Sul-Americana, por terem sido os melhores perdedores desta terceira fase.

Veja a tabela completa da Copa Libertadores

Confira o desempenho, país por país, na Pré-Libertadores

Publicidade