Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Brasil x Argentina é suspenso após Anvisa pedir deportação de argentinos

Segundo autoridade sanitária, quatro jogadores que atuam na Inglaterra omitiram que estiveram no país e não cumpriram quarentena obrigatória

Por Laísa Dall'Agnol, Luiz Felipe Castro, Guilherme Azevedo Atualizado em 5 set 2021, 18h41 - Publicado em 5 set 2021, 15h07

O jogo entre Brasil e Argentina pelas Eliminatórias da Copa de 2022 mal começou e já ganhou as páginas policiais. A Anvisa determinou neste domingo, 5, a deportação de quatro jogadores da seleção argentina que entraram em solo brasileiro descumprindo as regras sanitárias do país. O jogo na Neo Química Arena, em São Paulo, foi paralisado e acabou suspenso por determinação da Conmebol, sob protestos dos atletas.

A agência solicitou à Polícia Federal o imediato retorno de Giovani Lo Celso, Emiliano Martínez, Emiliano Buendia e Christian Romero ao país de origem, além da imediata quarentena dos atletas.  Os jogadores foram o estádio e três deles, Martínez, Romero e Lo Celso, estavam como titulares. Por volta dos nove minutos de partida, com o 0 a 0 no placar, as autoridades da Polícia Federal e da Anvisa entraram no gramado da Anvisa para paralisar o jogo. 

O presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres afirmou que os quatro jogadores mentiram no relatório do viajante, exigido pela autoridade sanitária para a entrada no país durante a pandemia. De acordo com as regras vigentes, pessoas que passaram pelo Reino Unido, África do Sul e Índia devem cumprir quarentena de 14 dias.

“Os quatro jogadores disseram não ter passado por Reino Unido, África do Sul e Índia, mas no passaporte ficou comprovado que passaram no Reino Unido. Só constataram entre ontem à noite e hoje. Chegamos a esse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou não foi cumprido. Os jogadores tinham que ser isolados para serem deportados , entretanto não foi cumprido. Se deslocaram até o estádio e entraram em campo”, afirmou, em entrevista à Rede Globo. Segundo Barra Torres, os jogadores serão autuados, multados e, então, deportados.

De acordo com as autoridades sanitárias, os quatro jogadores argentinos, que atuam por clubes ingleses, declararam, em formulário oficial, informações falsas sobre o país de origem antes da entrada na país. Viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, por Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia não podem ingressar no Brasil.

  • Após reunião entre o Ministério da Saúde, Anvisa, e a Secretaria de Saúde de São Paulo, confirmou-se, com consulta aos passaportes dos quatro jogadores envolvidos, que os atletas descumpriram a regra, uma vez que estiveram no Reino Unido. Os viajantes chegaram ao Brasil em voo de Caracas com destino a Guarulhos.

    Houve confusão entre os integrantes da seleção argentina e os fiscais. O capitão argentino Lionel Messi retornou ao gramado para conversar com os atletas brasileiros e com o técnico Tite. Nos bastidores, membros da Embaixada da Argentina chegaram ao estádio para tentar resolver a situação. Pouco antes das 17h, a Conmebol anunciou a suspensão da partida, por decisão da arbitragem. Os atletas brasileiros permaneceram no campo treinado enquanto os argentinos foram para os vestiários.

    Continua após a publicidade

    Ao contrário da Argentina, que obteve a liberação de seus atletas que atuam na Inglaterra para disputar esta rodada das Eliminatórias, o Brasil teve 12: Alisson, Fabinho, Roberto Firmino, Fred, Gabriel Jesus, Ederson, Thiago Silva, Raphinha e Richarlison, jogadores da Premier League, além de Matheus Nunes, do Sporting, Claudinho e Malcom, do Zenit tiveram de ser desconvocados, em razão do veto de seus clubes.

    A recusa se deu pelo fato de os países sul-americanos integrarem a chamada “lista vermelha” da Covid-19. De acordo com as regras impostas pelo governo britânico, caso um dos atletas saia, mesmo já imunizado, só poderá ter sua entrada permitida se sua cidadania for britânica ou irlandesa, ou tiver direitos de residência. Além disso, precisaria apresentar exame negativo para Covid-19 e cumprir quarentena obrigatória de dez dias após o retorno, com exames a serem feitos posteriormente, o que prejudicaria a sequência do Campeonato Inglês.

    Continua após a publicidade
    Publicidade