Clique e assine a partir de 8,90/mês

Academia de campeões: a incrível evolução física do Bayern pós-paralisação

Jogadores do clube alemão aproveitaram a quarentena para investir na musculação; confira galeria com antes e depois

Por Danilo Monteiro - Atualizado em 27 ago 2020, 13h50 - Publicado em 26 ago 2020, 16h10

A campanha perfeita do campeão europeu Bayern de Munique tem uma série de explicações, desde a boa gestão até o alto nível técnico e tático sob comando de Hans-Dieter Flick. Outro fator, no entanto, chamou a atenção desde a retomada do futebol: a transformação física dos jogadores, que investiram na musculação durante a parada de três meses em meio à pandemia de coronavírus.

A mudança mais impressionante foi a do meia Leon Goretzka, que abandonou completamente o biotipo comum de um jogador de futebol e hoje está quase irreconhecível. “Eu aproveitei o tempo (da pandemia) para fazer musculação. Me sinto completamente em forma dentro de campo”, contou o meia. “Olhando para o Leon, você pode notar que ele ganhou massa muscular. Isso beneficia o jogo dele. Ele tem sido um grande meio-campista, muito presente e sempre roubando bolas”, acrescentou o técnico Hans Flick.

Goretzka está longe de ser uma exceção, pois vários jogadores do elenco parecem ter aproveitado o isolamento social para desenvolver a parte física. O lateral Alaba ganhou músculos para se transformar de vez em um zagueiro, enquanto o ponta Alphonso Davies fez o mesmo para se transformar em um lateral que apoia e defende com intensidade.

View this post on Instagram

#WeiterImmerWeiter 💪 #Cybertraining #FCBayern #MiaSanMia

A post shared by FC Bayern München (@fcbayern) on

Continua após a publicidade

O resultado da evolução física foi uma intensidade incomparável do time bávaro na Liga dos Campeões. Além do domínio técnico e aplicação tática, os jogadores do Bayern conseguiam manter a intensidade durante os 90 minutos, enquanto os outros clubes diminuíam o ritmo, algo comum no futebol, ainda mais após um longo período de inatividade.

A disparidade de velocidade e resistência ajudaram na pilha de goleadas que o Bayern aplicou na Champions, incluindo o histórico 8 a 2 no Barcelona, na semifinal. Nas redes sociais, torcedores compararam o biotipo dos atletas das duas equipes: enquanto Busquets, Piqué, Alba e companhia são extremamente magros, os do Bayern são todos musculosos.

O meia brasileiro Philippe Coutinho e o atacante polonês Robert Lewandowski também encabeçam a lista da “fábrica de monstros” do Bayern de Munique (confira na galeria abaixo).

UOL Esporte Clube | Assine e acompanhe transmissões de grandes jogos e programas esportivos de onde você estiver.

Continua após a publicidade
Publicidade