Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Abel Braga entrega presidente do Vasco: ‘Não vai pagar em dia’

Na apresentação no clube carioca, treinador revelou que Alexandre Campello admitiu atrasar os pagamentos de salários

Por Gazeta Press - Atualizado em 18 dez 2019, 19h47 - Publicado em 18 dez 2019, 19h40

O Vasco apresentou o técnico Abel Braga nesta quarta-feira 18. O treinador chega para substituir Vanderlei Luxemburgo, que não acertou a renovação de contrato e já foi anunciado como técnico do Palmeiras para 2020. Logo na chegada, o novo treinador vascaíno foi sincero e disse que chega ao Vasco para ganhar menos que nos últimos clubes. Além disso, revelou uma conversa franca com o presidente Alexandre Campello, que não lhe prometeu pagar os salários em dia.

“Ele me disse: ‘Vou te pagar, mas não pense que vou te pagar em dia’. Se pagar em dia, vai ser uma surpresa legal. Se não pagar, eu já estou sabendo. Ele me disse o que pensa do Vasco. Encerrar a carreira aqui será uma coisa boa. Dar seguimento ao ótimo trabalho do Luxa”, declarou na sala de imprensa do Vasco.

Abel destacou sua identificação com o clube. O agora técnico foi zagueiro e atuou na equipe entre 1976 e 1979. “Eu sei bem o que é essa camisa. Era reserva onde jogava, mas com seis meses de clube, já estava na Seleção. Depois de dois anos, fui para o PSG. Falo francês hoje, o que é uma honra, pelo o que o Vasco me proporcionou”, relembrou.

O novo comandante sabe que o clube não vai fazer grandes contratações e adiantou que quer o retorno do volante Richard, que esteve emprestado pelo Corinthians no Campeonato Brasileiro. “Eu estou pedindo o Richard de volta. Me deu uma resposta muito boa no Fluminense. Vasco mudou depois que ele entrou na equipe. Vanderlei me ligou na época. Isso é tentar fazer um Vasco mais forte. Conversei duas horas com Vanderlei. Um amigo, vencedor”, comentou.

Publicidade

Abel Braga também minimizou as críticas sofridas pelos trabalhos recentes, principalmente no Flamengo. “Não gostaria de falar do que ficou para trás. Posso falar que tenho 27 títulos, fui campeão mundial e não é por ai. O trabalho no rival está sendo bem feito, mas está sendo terminado. Eu comecei. Com a Florida Cup, com o estadual, com a classificação na Copa do Brasil 75% garantida com a vitória em São Paulo. E classificado em primeiro no grupo da Libertadores, o que não acontecia há 11 anos”, finalizou.

Publicidade