Clique e assine a partir de 9,90/mês
Publicidade

Notícias sobre Ensino Médio

As evidências mostram que só recursos não garantem o desempenho. Isso vale tanto para os municípios que gastam muito quanto para os que gastam pouco.
Não há uma tendência consistente de melhoria nas redes estaduais ou municipais. O que há são bons exemplos isolados de alguns poucos estados e municípios.
A grande maioria dos alunos brasileiros tem desempenho pífio, e os nossos melhores alunos têm desempenho mediano, quando comparados com os melhores do mundo
Para termos uma noção mais adequada do desempenho dos alunos e das redes de ensino, é mais prudente usar os dados da Prova Brasil do que os dados do IDEB.
Neste e nos próximos posts sobre o Relatório “Para Desatar os nós da educação - uma nova agenda”, o tema central são os resultados da educação brasileira.
No Brasil, o aumento da escolaridade registrado nas últimas décadas não tem sido acompanhado do aumento da produtividade. Onde está o problema?
Se forem mantidos no nível atual, os recursos para a educação pública brasileira serão divididos por um número cada vez menor de alunos.
Neste 3º post da série sobre o Relatório 'Para Desatar os Nós da Educação', apresentamos dados sobre os gastos feitos três níveis de governo
No segundo post da série sobre o Estudo "Para desatar os nós da educação", tratamos do “nó” do financiamento, em pauta com o debate a respeito do Fundeb.
No 1º post da série que apresenta os principais dados do estudo 'Para Desatar os Nós da Educação', comentamos os dados sobre o crescimento da matrícula
Professores e alunos dão dicas de plataformas que disponibilizam conteúdo gratuito para quem se prepara para os exames de universidades e o Enem
Crise atual também abre oportunidades. Teremos menos demanda de matrículas e metade dos professores poderá se aposentar nos próximos 15 anos.
Hoje está acontecendo na Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados mais um evento para enriquecer o debate sobre o Fundeb
12/06/2019 Colégio Santa Cruz oferece o curso Eja, André.Foto Claudio Gatti
Educação

Um estrago silencioso na educação 

Por Letícia Passos - 16 ago 2019, 12h47
Os recentes cortes no orçamento do MEC afetarão um setor menos alardeado, mas fundamental: o ensino para quem não conseguiu finalizar a educação básica
Estudos mostram que há muito a fazer na educação, em várias frentes. Planejamento, competência e coordenação são requisitos para o País avançar
As principais razões dentro da escola incluem o absenteísmo, a repetência, a falta de interesse e a falta de orientação vocacional
Em duas ocasiões recentes, o Ministro da Educação mencionou o Pisa. Numa delas falou de aumentar em 50 pontos as notas do Brasil. Como conseguir isso?
Decreto sobre Alfabetização deixou claro que há forças externas ao MEC com alto poder de fogo e guerrilhas internas longe de estarem debeladas. 
Nova equipe do MEC corre o risco de ser engolida pela máquina ou pelos grupos de interesse e pressão, que exercem enorme influência sobre o ministério
Ministro diz acreditar que a mudança de regime, há 55 anos, não foi um golpe, e sim uma 'mudança de tipo institucional'
Publicidade