Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Yoshihiko Noda será o novo primeiro-ministro do Japão

Por Toru Yamanaka 29 ago 2011, 08h38

O ministro das Finanças Yoshihiko Noda, que defende um maior rigor orçamentário, foi eleito nesta segunda-feira presidente do Partido Democrata do Japão (PDJ) e será nomeado na terça-feira primeiro-ministro no Parlamento, quase seis meses depois do terremoto que devastou o país.

Noda vai suceder o atual chefe de Governo, Naoto Kan.

No segundo turno da votação, Noda, de 54 anos, recebeu 215 votos e superou o ministro da Economia, Comércio e Indústria, Banri Kaieda, 62 anos, que recebeu 177 votos dos 392 emitidos pelos parlamentares do PDJ (centro-esquerda).

O ministro das Finanças se beneficiou dos votos dos outros três candidatos que também buscavam a presidência do PDJ: o ex-chanceler Seiji Maehara, o ministro da Agricultura Michihiko Kano e o ex-ministro dos Transportes Sumio Mabuchi.

No Japão, o presidente do partido governista, que controla a poderosa Câmara dos Deputados, tem a garantia automática de ser eleito primeiro-ministro pelo Parlamento.

Em seu primeiro discurso, o vencedor declarou que desejava conseguir o apoio de todo o partido para superar os desafios que o Japão enfrenta, em um país traumatizado pelo terremoto e tsunami de passado 11 de março.

“Para resolver o problema de Fukushima, reconstruir a região devastada, lutar contra a valorização do iene e deflação, precisamos que todos avancem no mesmo sentido”, disse Noda.

Continua após a publicidade

“Estamos diante de uma situação de emergência nacional: é preciso solucionar a questão do acidente nuclear, possibilitar a reconstrução e enfrentar uma grave crise econômica”.

“Quero forjar relações de confiança com a oposição e que consigamos cooperar”, completou.

Noda é partidário de uma ampla reforma do sistema fiscal que inclua um aumento dos impostos, como a taxa de 5% que é aplicada ao consumidor, com o objetivo de pagar a dívida pública.

“Vamos examinar em que data aplicamos o aumento de impostos e sobre quais produtos, assim como sua influência na economia. Apresentaremos em breve várias opções à comissão fiscal do governo”, completou.

A eleição de Noda pode provocar tensão com a China e a Coreia do Sul por algumas posições do novo premier. Recentemente, ele declarou que os japoneses condenados por crimes de guerra por um tribunal dos Aliados, após a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, não eram verdadeiros criminosos.

Além disso, o futuro chefe de Governo não condenou as visitas de políticos ao santuário Yasukuni de Tóquio, onde são homenageados os mortos pela pátria, incluindo os criminosos de guerra, apesar das críticas dos chineses e sul-coreanos vítimas da ocupação militar japonesa.

Em um de seus últimos atos como ministro das Finanças, Noda anunciou na semana passada uma série de medidas excepcionais para ajudar as empresas do país a combater a valorização do iene.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)